ColunistaFórmula 1Post

Valtteri Bottas lidera dobradinha da Mercedes em Ímola, com Gasly na 3ª posição

Boa performance dos pilotos da Mercedes, enquanto a Red Bull teve vários problemas em Ímola

A sexta-feira (16) terminou com um bom resultado para a Mercedes, Valtteri Bottas fechou o TL2 com a liderança, após anotar 1m15s551, acompanhado por Lewis Hamilton que cravou 1m15s561.

O mesmo dia foi de um azar tremendo nos boxes da Red Bull, Sergio Pérez teve aquela batida com Esteban Ocon no TL1, enquanto o carro de Max Verstappen apresentou uma quebra durante uma volta rápida no circuito de Ímola e abandonou a sessão pouco depois – o holandês fechou a sexta-feira no décimo quarto lugar. Pérez conseguiu se recuperar, fechando em sexto.

É um momento importante já que existe muita expectativa relacionada ao rendimento da Red Bull e da Mercedes, além da continuação do duelo entre estas duas equipes.

O grid está muito misturado, dificultando uma leitura melhor sobre o desempenho de cada time em Ímola. No entanto, Pierre Gasly roubou a cena com a conquista da terceira posição com 1m15s629, enquanto Yuki Tsunoda é o sétimo.

A performance da Ferrari também chama a atenção, já que o time segue buscando uma melhor posição na pista italiana. Mas a sessão terminou de uma forma difícil para Charles Leclerc – o monegasco provocou uma bandeira vermelha após bater na saída da Rivazza quando perdeu a traseira do SF21. A dupla da Ferrari fechou a atividade na quarta posição com Carlos Sainz e quinto com Leclerc.

Lando Norris levou a McLaren para o oitavo lugar, enquanto Antonio Giovinazzi surpreendeu com a nona posição, já que Kimi Raikkonen só conseguiu o décimo sétimo tempo com os pneus macios. Lance Stroll fechou o top-10 com a Aston Martin.

Saiba como foi o Segundo Treino Livre em Ímola

As temperaturas continuavam baixas em Ímola, na pista na casa dos 25°C, com 14°C no ambiente.

A categoria conseguiu resolver os problemas de comunicação e desta vez era possível contar com as informações dos pneus.

Com a pista liberada, ninguém queria perder tempo, então logo os pilotos foram liberados para trabalhar as suas voltas rápidas – em grande parte dos carros os pneus médios eram utilizados, mas Russell, Raikkonen, Schumacher e Latifi ainda estavam testando os compostos duros. Esteban Ocon passou por um reparo entre o TL1 e o TL2 após a batida com Sergio Pérez e logo partiu para cumprir o seu cronograma. 

A Ferrari começou na ponta, Leclerc anotou 1m17s076, acompanhado por Sainz que registrou 1m17s794 de pneus médios. A equipe italiana seguia batalhando pela ponta e mostrando um bom trabalho em Ímola.

Com as constantes voltas rápidas, as posições dos pilotos mudavam rapidamente, mas eles estavam explorando o modo de simulação de classificação – vale dizer que provavelmente alguns pilotos vão tentar começar a prova utilizando os pneus médios.

Max Verstappen que estava explorando as voltas rápida se deparou com um problema no carro em decorrência de alguma quebra; após a Rivazza, o RB16B do holandês passou a ficar lento e o piloto parou o carro na saída dos boxes, provocando a ativação de um Virtual Safety Car (que não durou muito tempo). Verstappen ficou impossibilitado de retornar para a pista antes do encerramento da atividade.

Restando 45 minutos de atividade, os dez primeiros eram: Bottas, Hamilton, Gasly, Sainz, Pérez, Verstappen, Leclerc, Tsunoda, Ricciardo e Ocon. A dupla da Williams voltou a rodar abaixo dos dez primeiros, com Latifi ocupando a décima segunda posição, enquanto Russell era o décimo oitavo. Mazepin era o único piloto sem tempo.

Latifi e Russell foram os primeiros pilotos a instalar os pneus macios, investindo em mais algumas voltas rápidas.

Com o andamento da atividade, mais pilotos estavam com os pneus macios instalados em seus carros. Bottas seguia na liderança com a marca adquirida com os pneus médios (1m15s551), separado de Hamilton por 0s121, No entanto, os pilotos que estavam trabalhando com os pneus macios não haviam superado a dupla da Mercedes ainda. A melhor marca com os macios fora conquistada com Sainz que tinha 1m16s371.

Pierre Gasly estava se esforçando para permanecer nas primeiras posições e com quase meia hora de atividade, o piloto da AlphaTauri anotou 1m15s629. A dupla da McLaren estava apenas na parte final da tabela de tempos, com Daniel Ricciardo ocupando a décima sétima posição, enquanto Lando Norris era o décimo oitavo colocado.

Alguns tempos de volta eram deletados pelos pilotos extravasarem os limites de pista, principalmente na curva 9. Ricciardo permanecia no fim da tabela por ter um tempo deletado, enquanto Norris melhorou a sua marca para 1m16s485, assumindo a oitava posição – também de pneus macios.

Os últimos 25 minutos foram utilizados pelos pilotos para a simulação de corrida  

Após enfrentar problemas elétricos na unidade de potência durante o TL1, Tsunoda conseguiu um bom resultado no TL2, encerrando a atividade no sétimo lugar – uma boa marca já que seu companheiro de equipe fechou em terceiro.

Ainda havia uma disparidade entre a dupla da Aston Martin, Stroll estava ocupando a décima posição, com Vettel em décimo quinto. A Alpine permanece apagada, ocupando o décimo primeiro lugar e décimo terceiro, com Esteban Ocon e Fernando Alonso respectivamente.

Mazepin seguiu enfrentando problemas durante a atividade, uma avaria no VF21 deixou o carro inguiável, mas o russo vem apresentando um desempenho questionável, já que roda muitas vezes, bateu na primeira sessão e seguiu extravasando os limites de pista em diversos momentos.

O TL2 terminou com o regime de bandeira vermelha, pois Charles Leclerc perdeu a traseira do SF21 na Rivazza; como restavam menos de 2 minutos de atividade, não havia tempo hábil para o seu retorno, desta forma a sessão foi encerrada.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados