ColunistaPost

Stock Car: O que você precisa saber sobre o formato da competição

Por conta da pandemia a categoria alterou o formato para a etapa de Goiânia, mas ele pode ser utilizado em outras etapas

Com o retorno da Stock Car, algumas pessoas ficaram com dúvida sobre a competição ou são novos espectadores ou os antigos que não entenderam algumas mudanças que ocorram para a etapa de Goiânia da Stock Car. Desta forma buscamos esclarecer algumas dúvidas.

A Classificação

Para a etapa de Goiânia o formato da classificação sofreu uma alteração, desta forma a categoria optou por realizar uma sessão curta de 30 minutos, em 2019 a sessão tinha duração de 1h. O pole ficou definido com o resultado obtido após o Q2, quando os quinze carros partiram para a pista juntos tentando obter a melhor volta.

O Q1 segue no formato de dividir o grupo em A e B, este formato é para dar mais oportunidade aos competidores que podem usufruir de uma pista mais vazia.

Normalmente os seis melhores pilotos do Q2, disputam uma volta cada, do sexto ao primeiro colocado e assim as primeiras posições são definidas, além do pole da etapa.

A categoria ainda busca realizar o shakedown e dois treinos livres de 1h10mim.

O tamanho das corridas

As corridas da Stock Car costumam ter duração de 40 minutos, mais uma volta. Com o novo formato, terão 30 minutos, mais uma volta. São duas baterias disputadas no domingo, a segunda começa logo após o enceramento da primeira corrida.

Os dez primeiros invertem o grid, desta forma o vencedor da primeira corrida anterior, larga do “meio” do grid.

Quantas etapas?

A categoria segue com a previsão de realizar 12 etapas, mas para validar o campeonato é necessário realizar 8 etapas. A Stock Car pode optar por realizar provas no sábado e domingo, para completar o calendário.

Neste momento é difícil saber como vão ser realizadas as corridas, pois por conta do coronavírus alguns governos estão relutantes com a realização de grandes eventos. Várias cidades ainda estão em alerta vermelho, inviabilizando a realização de provas.

O publico ainda não vai conhecer os carros, as arquibancadas precisam estar vazias e quem é de suma importância para a realização da etapa precisa seguir os protocolos de segurança.

Distanciamento social, utilização de máscaras e testar negativo para o Covid-19, esta é a nova realidade da categoria.

A Pontuação

A pontuação segue a mesma, em relação ao campeonato de 2019. A segunda corrida volta a ter um grande peso na competição e é justamente ela que faz a categoria ser tão competitiva.

Imagem: Reprodução Stock Car
Lastro

Foi adotado o sistema de “Lastro de Sucesso”, os cinco mais bem colocados no campeonato receberão o (lastro – peso a mais) e devem utilizá-lo em seu carro na etapa seguinte, desde o início das atividades.

Se existir empate os pilotos vão receber a mesma quantidade de lastro, correspondente a sua posição. Ele não serve para contabilizar o peso mínimo total do carro.

Confira a tabela:
Imagem reprodução da tabela de Lastros
Toyota e Chevrolet

Com o objetivo de voltar as origens e ser um carro de Stock, a categoria trocou os carros em formato bolha, para os chassis Monocoque. Nesta temporada o carro que vemos na rua é o mesmo utilizado pelas equipes, com apenas algumas modificações aerodinâmicas para a competição.

Tanto o Cruze, quando o Corolla são V8 6.8, movido a etanol, com capacidade de 460 cv de potência.

As equipes ainda podem utilizar o “push to pass” é uma potência a mais dada ao motor que os pilotos utilizaram para realizar ultrapassagens.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo