ColunistaFórmula 1Post

Raio-X do GP da Turquia

Hamilton conquistou a vitória e o sétimo título. A prova foi uma grande loteria e um verdadeiro desafio para os pilotos e equipes

O GP da Turquia foi bem diferente da corrida disputada em Portugal, os dois asfaltos foram recapeados, mas em Istambul ele foi alterado duas semanas antes da prova e não realizaram os procedimentos de limpeza necessários. O “show” que vimos desta vez foi ligado aos diversos problemas de dirigibilidade, os pilotos falavam que era como andar no gelo, ninguém tinha referências capazes de auxiliar neste momento. Andar, andar e andar seria a melhor opção, mas o que dizer da chuva que chegou no sábado e dificultou ainda mais a vida dos pilotos. O fim de semana continuou, mas esse esclarecimento precisa ser feito, pois as condições da pista se firmaram nestes problemas.

Dito isso, a vitória de Lewis Hamilton não parecia certa, o piloto da Mercedes largou da sexta posição e havia apresentado muita dificuldade para guiar o carro, mas a sua experiência fez diferença na pista e assim o inglês conquistou a 94ª vitória, com a conquista do heptacampeonato no mesmo dia. Mas para saber sobre Hamilton e outras equipes, aproveite a leitura do texto que respeita a ordem do campeonato de construtores.

Mercedes, sete títulos para os maiores

Lewis Hamilton venceu e conquistou o sétimo título no GP da Turquia – Foto: reprodução

Diante das incertezas geradas pelo asfalto, a Mercedes começou o fim de semana apagada, a equipe alemã não liderou todos os treinos livres e após o terceiro treino livre não poderia ser considerado a favorita para o fim de semana. Aliás, a potência e a magnitude dos motores Mercedes além da sua aerodinâmica trouxeram mais dificuldade para a prova os pilotos na prova turca. O motor despejava muita potência na parte traseira deixando o carro muito arisco e difícil para controlar.

Hamilton começou o fim de semana frustrado com a situação, os pneus não geravam a aderência necessária e durante a classificação, o piloto ficou apenas com a sexta posição. Era um desafio para a Mercedes que estaria largando do pelotão intermediários com carros que possuem diversos tipos de desempenho ao seu lado. Mas durante a corrida Hamilton apostou pelo lado mais conservador, tentou atacar, mas não foi muito além já que arriscar uma ultrapassagem poderia provocar uma rodada.

O inglês contou com a experiência para se manter na pista e não realizar uma segunda troca de pneus, pois o pit-lane estava mais escorregadio que o circuito. Ele viu os outros pilotos apostando em uma segunda parada e foi escalando o grid até receber a bandeira quadriculada quando cruzou a linha de chegada na primeira posição. O sétimo título foi conquistado com uma vitória, mas que não foi construída apenas nesta prova, mas sim com toda a bagagem adquirida por todos estes anos que ele esteve na categoria.

Confira: Lewis Hamilton conquista 7º título com vitória na Turquia, Pérez e Vettel completaram o pódio

Valtteri Bottas era o único que poderia ameaçar o título, mas largou da nona posição, enquanto o companheiro de equipe era o sexto. Depois da largada o finlandês acabou rodando e comprometeu a sua corrida, não existiam muitas brechas para realizar ultrapassagens e ele foi figurando no final do grid. Bottas cruzou a linha de chegada na décima quarta posição, após os diversos problemas enfrentados durante a prova.

Red Bull

Max Verstappen e Alexander Albon acabaram rodando durante a corrida – Foto: Red Bull Racing

O time austríaco estava vivendo o outro lado da moeda com aquelas condições de pista, Max Verstappen e Alexander Albon estavam rodando nas primeiras posições e dominando as sessões de treinos livres. A confiança de Max Verstappen aumentou consideravelmente já que poderiam ter um bom fim de semana. No entanto, durante a classificação, ainda que estivessem tendo um bom desempenho, foi outro motor Mercedes que falou mais alto e Lance Stroll registrou a pole. Após aquele momento a frustração tomou conta de Verstappen que viu uma pole certa escapar das suas mãos.

No Q3 Verstappen começou a sessão com os pneus para chuva extrema, mas quando o time viu que a Racing Point estava evoluindo com os pneus intermediários, arriscou e realizou a mudança. O holandês não conseguiu o mesmo desempenho com aqueles compostos e perdeu a pole. Alexander Albon deu o seu máximo com os pneus de faixa verde e ficou com a quarta posição, mas tinha Sergio Pérez na terceira posição como rival.

Confira: Volta por Volta – A conquista do 7º título de Hamilton e sua vitória na Turquia

Partindo para a corrida, vimos os dois carros da Red Bull patinarem durante a largada e foram engolidos pelos outros pilotos, mas antes do final da primeira volta Verstappen era o quarto colocado, acompanhado por Albon. Verstappen perdeu o pódio quando rodou na décima oitava volta, ele estava tentando ultrapassar Pérez e passou com o carro em um trecho mais molhado e perdeu o carro. Depois deste momento a corrida dele ficou mais difícil, mas Albon também rodou e o time se complicou no circuito.

O que parecia ser um pódio certo ficou definido em um sexto lugar para Max Verstappen e o sétimo para Alexander Albon.

Racing Point é a terceira colocada com pódio de Pérez

Após diversos pódios perdidos ao longo da temporada 2020, Sergio Pérez conquistou o segundo lugar no GP da Turquia – Foto: Racing Point

A Racing Point veio trabalhando para obter um resultado melhor e esteve entre as equipes que conseguiram de adaptar as adversidades que ocorrem na pista. Os pilotos estiveram rodando entre os dez e na classificação se saíram muito bem.

Lance Stroll que ficou abalado após se contaminar com o Covid-19, conseguiu brigar pela pole e obter o melhor tempo no sábado. Sua primeira pole foi registrada, após Sergio Pérez abortar o último giro, já que acabou rodando no circuito. A Racing Point aproveitou para fazer frente a dupla da Red Bull.

Stroll que já fora para o pódio no GP da Itália deste ano, esteve buscando a vitória, mas como já citei nos textos sobre a corrida, as estratégias no circuito eram uma loteria, cada carro se comportava de uma forma ao realizar a troca dos pneus. O carro de Stroll passou a consumir mais pneu do que deveria e a equipe precisou parar mais uma vez, o que parecia ser uma estratégia ruim estabelecida pela Racing Point, depois foi identificado como um problema no carro de Stroll na sua asa dianteira

Confira: Lance Stroll conquista a primeira pole em disputa direta contra Verstappen e Pérez na Turquia

Trocaram os pneus intermediários, por outros intermediários e neste momento Stroll passou a perder desempenho na pista e se tornou um alvo fácil na pista. O jovem canadense terminou a prova na nona posição após largar da pole e liderar boa parte da corrida. Pérez por outro lado foi mantido no circuito, o mexicano foi ultrapassado por Lewis Hamilton e perdeu a ponta, mas conseguiu garantir a segunda posição, ainda que tenha corrido o risco de comprometê-la quando Charles Leclerc tentou a ultrapassagem na última volta.

O pódio e nono lugar de Stroll colocaram o time no terceiro lugar do campeonato de construtores, após ultrapassar a McLaren e a Renault.

McLaren

Carlos Sainz terminou no quinto lugar e ganhou dez posições durante a corrida – Foto: McLaren

O início do fim de semana não parecia ser o melhor para o time, eles começaram rodando abaixo dos dez e estavam com dificuldade para se adaptar as condições de pista e encaixar voltas boas. O sábado foi um banho de água fria, já que além da classificação decepcionante onde nenhum dos carros foi para o Q3, e logo depois os dois pilotos ainda acabaram punidos perdendo algumas posições no grid de largada do domingo.

Confira: Carlos Sainz vai perder três posições no grid de largada do GP da Turquia
+ Lando Norris foi punido por ignorar as bandeiras amarelas na classificação

Para a McLaren era um baque muito grande, afinal a dupla da Racing Point estava largando entre os três primeiros e a dupla da Renault estava no Top-10. No entanto a corrida trouxe uma nova dinâmica. Carlos Sainz e Lando Norris conseguiram realizar ultrapassagens e utilizar a pista da melhor forma, encontrando os melhores trechos para ganhar posições. Eles também contaram com o desempenho ruim da Renault e a Alfa Romeo que havia se classificado entre os dez teve um domingo complicado.

Carlos Sainz cruzou a linha de chegada no quinto lugar, desta forma o espanhol conquistou dez posições. Lando Norris terminou a prova em oitavo, superando Lance Stroll, os dois pilotos conseguiram garantir a quarta posição no campeonato de construtores para a McLaren, mas está disputa ainda não acabou.

Renault

Daniel Ricciardo conquistou a décima posição. A Renault agora é ameçada pela Ferrari no campeonato de construtores – Foto Renault

A Renault teve uma sexta-feira complicada, mas a palavra-chave da equipe era justamente a busca pela evolução. Assim como a pista os tempos foram melhorando, mas eles estavam distantes do pelotão. No sábado com a pista molhada e com o terceiro treino livre realizado, a perspectiva de um resultado melhor acabou surgindo e na classificação finalmente a dupla de pilotos esteve entre os dez com mais segurança.

Daniel Ricciardo ganhou a oportunidade de largar da quinta posição, enquanto Esteban Ocon começou da sétima posição. Mas a largada e a prova no domingo não foram boas para os dois pilotos. Ocon e Ricciardo acabaram se tocando após a largada, o australiano ficou sem espaço enquanto estava tentando ganhar a posição de Hamilton, Ocon surgiu na disputa, foi tocado e rodou, o pneu traseiro do francês acabou furando e ele precisou de um pit-stop ainda no início da prova.

A corrida ficou comprometida, Ricciardo ainda apareceu na sétima posição, mas ele começou a perder rendimento com os pneus e após se deparar com uma boa velocidade e ritmo, o australiano se deparou com a queda de desempenho e ficou apenas com a décima posição. Ocon conseguiu se recuperar um pouco na prova e terminou a corrida na décima posição, mas fora da zona de pontuação.

Ferrari, o gosto do passado

Sebastian Vettel conquistou a terceira posição no GP da Turquia, em seu melhor resultado da temporada 2020 até o momento – Foto: Ferrari

A Ferrari experimenta a montanha russa da temporada, eles ainda buscam um resultado melhor, mas já estão trabalhando com o motor do próximo ano. Mattia Binotto não compareceu nesta corrida, pois está justamente focado nos trabalhos da fábrica e justamente neste fim de semana Sebastian Vettel e Charles Leclerc somaram 27 pontos, a melhor pontuação de toda a temporada 2020.

A dupla esteve rodando entre os dez durante os treinos livres, mas a classificação não foi muito justa e eles não passaram para o Q3. O grande pulo do gato de Sebastian Vettel se deu na largada, ele começou a corrida da décima primeira posição e apareceu no terceiro lugar após a primeira volta. Desta forma ele protagonizou uma grande corrida, segurando Lewis Hamilton em alguns momentos e brigando pelo pódio.

Leclerc fez uma corrida diferente, mas apareceu no pódio ao ultrapassar o companheiro de equipe na volta 44. As últimas voltas foram emocionantes, mas o monegasco tentou conquistar a segunda posição no último giro e acabou rodando, desta forma Vettel realizou a ultrapassagem e foi para o pódio. A Ferrari aproveitou a adversidade do fim de semana para conquistar mais pontos e agora entra na briga com a Renault pela quinta posição do campeonato de construtores, já que o time italiano tem 130 pontos, contra 136 do time francês.

Confira o nosso podcast onde falamos mais sobre o fim de semana na Turquia

AlphaTauri

A dupla da AlphaTauri ficou apagada no fim de semana – Foto: Red Bull Racing

Na turma dos times apagados, tivemos a AlphaTauri que não conseguiu obter um bom rendimento na pista molhada, diferente da perspectiva que o asfalto seco proporcionou. Os pilotos e os carros não renderam, a classificação fez com Daniil Kvyat ficasse no Q1, enquanto no Q2 foi a vez de Pierre Gasly não conseguir evoluir.

A corrida não trouxe uma nova dinâmica e novamente os carros não cooperaram, desta forma Kvyat ficou com a décima segunda posição, enquanto Gasly foi o décimo terceiro. Com o folego que a Ferrari tomou após este GP, a AlphaTauri permanece na sétima posição do campeonato de construtores, mais agora distante dos rivais.

Alfa Romeo, pena que a classificação não gera pontos

Com a pista secando, os carros da Alfa Romeo começaram a perder desempenho na pista. Raikkonen realizou uma corrida solitária – Foto: Alfa Romeo Racing

A Alfa Romeo encontrou uma luz quando a pista estava molhada, mas já estavam lidando de uma forma diferente com a pista escorregadia. A classificação foi surpreendente, os dois carros passando para o Q2 e depois para o Q3, Kimi Raikkonen largou da oitava posição, com Antonio Giovinazzi em décimo.  

Infelizmente como disse o chefe de equipe da Alfa Romeo Frédéric Vasseur, a classificação não gera pontos para a equipe e eles sabiam que a corrida seria mais difícil para o time. A pista foi secando e os carros passaram a perder desempenho. Giovinazzi foi obrigado a abandonar a prova após um problema no carro e gerou um Virtual Safety Car. Raikkonen permaneceu na corrida mas não tinha uma boa perspectiva e terminou a prova na décima quinta posição, em uma prova isolada e com diversas dificuldades.

Haas

Magnussen apareceu no top-10 durante o GP da Turquia – Foto: Haas

A Haas figurou nas últimas posições em sua disputa particular, a classificação não foi boa, a equipe não conseguiu avançar e ficaram presos já no Q1. Mas na corrida Kevin Magnussen apontava que poderia chegar à zona de pontuação, já que estava rodando na décima posição, o piloto estava realizando uma boa corrida para o time, e assim como o Vettel, ganhou posições importantes na largada.

O time precisou apostar em um segundo pit-stop para Kevin Magnussen e neste momento a corrida dele foi prejudicada pois a porca que segura o pneu atrasou o piloto, que pouco depois abandonou a corrida na saída dos boxes. Romain Grosjean não teve um fim de semana melhor e abandonou a prova na volta 52 após rodar quando se tocou com Nicholas Latifi na volta 52, desta forma nenhum dos pilotos da Haas concluiu a prova.

Williams

A Williams largou dos boxes. Russell acabou batendo na entrada do pit-lane e a equipe precisou arrumar o carro antes do início da prova – Foto: Williams Racing

A Williams não conquistou pontos, mas teve uma leitura diferente da prova, para a largada o time que ocupava as últimas posições, optou por largar dos boxes para utilizar a temperatura mais alta dos pneus e começar a corrida com os compostos intermediários, diferente dos pilotos que estavam apostando nos pneus de chuva extrema.

Funcionou em um primeiro momento e George Russell foi ganhando posições, mas os pneus passaram a se degradar e foi necessário trabalhar com uma estratégia com mais paradas. Nicholas Latifi acabou abandonando a prova após o toque com a Haas, já que o seu carro ficou danificado. O time esperou que em algum momento fosse possível partir para os pneus de pista seca, mas esse momento não surgiu e foi difícil trabalhar com os compostos. Russell ficou com a décima sexta posição após o término da prova.

 

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo