ColunistaDestaquesFórmula 1Post

Preview para o GP de Abu Dhabi – A grande despedida da temporada de 2019

O Grande Prêmio de Abu Dhabi é o último circuito da temporada, mas entre 2011 e 2013 a festa de encerramento da categoria foi alternada entre ele o Grande Prêmio do Brasil.

Faz parte dos circuitos mais novos da Fórmula 1 e apenas foi introduzido na temporada de 2009, seu anúncio ocorreu ainda em 28 de junho de 2008 como a 19ª etapa do ano seguinte e, consequentemente, a corrida de encerramento. Foi também a primeira disputa noturna, iniciada às 17h do horário local. Os holofotes precisaram ser ligados para a corrida e ela trazia a perfeita sintonia da mudança da luz natural, para a escuridão do anoitecer.

 

O circuito já recebeu algumas disputas de títulos, como em 2010 com o líder do campeonato Fernando Alonso perdendo a corrida para Sebastian Vettel, que conquistava a sua segunda vitória nesta pista. Em 2016 viu outra disputa de título sendo decidida, a briga era entre Nico Rosberg e Lewis Hamilton, o inglês venceu a prova, mas bastou o alemão estar em segundo para garantir o campeonato. Também viu a Red Bull conquistar o seu quarto campeonato de construtores em 2013.

Para esta temporada os líderes já estão definidos, mas o sexto lugar no campeonato de pilotos disputado por Pierre Gasly, Carlos Sainz e Alexander Albon, ainda está em jogo; assim como a terceira posição onde temos Max Verstappen e Charles Leclerc.

lll Pneus

A superfície da pista é extremamente lista, o que permite a escolha dos compostos mais macios para essa etapa, no entanto o calor é um agravante nessa época do ano e acaba ajudando na degradação dos compostos no início da corrida e à medida que a prova vai se estendendo noite a dentro, as temperaturas vão amenizando.

Os primeiros dois setores são rápidos, pois é onde estão situadas as duas maiores retas da pista. Assim como no Brasil, a prova é realizada em sentido anti-horário. Para este final de semana a Pirelli selecionou os pneus C3 (faixa branca – duro) C4 (faixa amarela – médio) e C5 (faixa vermelha – macio).

 

A pista de Yas Marina cobra mais a tração e a frenagem pois é um circuito bem equilibrado. As equipes vão tirar os seus parâmetros principalmente do primeiro e do terceiro treino livre.

 

Após as atividades as equipes permanecem por mais dois dias na pista para os testes em Abu Dhabi, comparando os pneus utilizados em 2019, com os da temporada de 2020.

lll Corrida de 2018

A última corrida do ano realizada, no circuito de Yas Marina, trazendo com a bandeirada final a 73ª vitória da carreira de Lewis Hamilton. O inglês não liderou a prova durante todo o seu desenvolvimento, pois a equipe antecipou a sua parada nos boxes na oitava volta, instalando os compostos supermacios. Ele resistiu na pista até o último giro, completando 48 voltas.

Hamilton foi brilhante por todo o ano, quebrou vários recordes, tornou-se campeão antecipadamente no México e faturou o quinto título consecutivo da Mercedes no Brasil. Foi mais uma vitória justa para o inglês na última disputa da temporada de 2018.

Sebastian Vettel ficou com a segunda posição, não ameaçou o inglês, mas pressionou Bottas no início da corrida. A parada nos boxes não foi a melhor da prova, atrelado ao desempenho ruim do finlandês da Mercedes, o seu segundo lugar pode ser garantido.

Max Verstappen fechou o pódio em terceiro. O holandês teve uma largada ruim e de quinto foi parar em décimo. Enfrentou Ocon em disputas por posição e ainda teve que lidar com os problemas no motor e freios. Não foi uma corrida fácil para ele. Suas investidas na pista foram duras, tanto com Ocon quanto ao encontrar Bottas; nas duas ocorreram toques, mas o Verstappen brilhou em terceiro com sua forma agressiva.

Assim como o companheiro de equipe, Ricciardo conseguiu ultrapassar Bottas antes do planejado, garantindo assim o quarto lugar. Nas voltas finais ele ficou abaixo de dois segundos do companheiro de equipe, mas não foi possível manter o ritmo até o fim. Por vezes o australiano teve um rendimento superior no final de semana em Abu Dhabi, mas a decisão da posição ficou na parada nos boxes, pois a Red Bull parou Max primeiro e depois, Ricciardo.

Sainz representou a Renult em sexto, sendo o único carro da equipe a conseguir terminar a prova, comprovando, assim, o bom desempenho deles na pista. Hulkenberg se envolveu em um incidente de corrida, ainda na primeira volta, com Grosjean. Ao tocarem as rodas dianteiras, o carro do alemão foi arremessado para o muro de contenção, deixando-o de ponta cabeça. Nenhum dano ocorreu, os procedimentos de segurança foram realizados e o piloto saiu bem.

Leclerc terminou em sétimo, figurando em alguns momentos em quinto e com um bom desempenho na corrida. Como um todo o monegasco foi bem no final de semana, chegando a ameaçar a liderança no Q1 e Q2 quando arroxeou os setores durante a prova de classificação. Ele já chama atenção para a próxima temporada.

Pérez ficou com o oitavo lugar, ainda que tenha disputado espaço na pista com Verstappen, mas deixou as investidas se seguirem entre o companheiro de equipe e o holandês. Completando o grid, Grosjean ficou em nono, seguido por Magnussen em décimo. O dinamarquês ainda foi ameaçado por Alonso, em sua tentativa de conquistar um último ponto para a McLaren.

Foi uma boa corrida para o espanhol, ainda que o carro não tenha mais uma vez entregado o que o potencial dele mereça. Alonso disputou espaço na largada e teve que galgar posições após a troca de pneus pois havia caído para a última posição. Finalizado a prova em décimo primeiro.

Foto reprodução: @garotadaF1

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados