ColunistaFórmula 1Post

Preview GP da Estíria – Segundo ano seguido com rodada dupla no Red Bull Ring

A Áustria recebe em 2021 duas provas. O GP da Estíria será disputado após uma etapa movimentada na França

O GP da Estíria é a segunda corrida deste primeiro trio de provas que será realizado neste início do campeonato. Sem pausas e sem muito tempo para pensar, os pilotos vão para o novo embate.

Max Verstappen e Lewis Hamilton vão para um novo confronto na Estíria, mas obviamente outras disputas estão acontecendo neste campeonato, algo que sempre gera expectativas para a próxima etapa.

Em casa e com um carro equilibrado, a Red Bull está confiante com o seu desempenho neste circuito, principalmente após a vitória conquistada na França. No entanto, não é possível descartar o ritmo da Mercedes, uma equipe que também mostra muita força, mas precisa se resolver com as estratégias. 

O desafio na Estíria é uma pista veloz, como uma montanha-russa, curta e com curvas interessantes. A Mercedes tem um bom retrospecto neste circuito e em 2020 quando duas provas foram realizadas por lá, a equipe alemã conseguiu uma vitória com Valtteri Bottas e outra com Lewis Hamilton. Eles são tidos como favoritos, até porque o início do campeonato 2020 começou com a Red Bull fora da zona de pontuação.

Tudo pode acontecer, a tensão por um fim de semana com chuva acaba ocorrendo quando a Fórmula 1 desembarca por lá. A localização e a época do ano são favoráveis para pancadas de chuva. Uma prova nestas condições torna tudo uma grande loteria.

E para a corrida deste ano, ainda é necessário lembrar que a Pirelli forneceu compostos diferentes para as duas corridas. Desta forma as equipes podem ampliar as suas estratégias e os resultados podem variar, o gerenciamento e consumo dos pneus sofre alteração com estas escolhas, ainda que o Red Bull Ring não seja uma pista em que a degradação dos pneus é alta.

GP da Áustria – 2020

Foto: Bottas pódio Áustria / Mercedes Daimler

Está foi a corrida de abertura para o campeonato de 2020, após aquele longo período que se estendeu desde a apresentação dos carros e a pré-temporada.

A corrida contou com a vitória de Valtteri Bottas, acompanhado por Charles Leclerc e Lando Norris. Mas vale dizer que nesta prova a disputa começou cedo, a Red Bull entrou com um protesto por Lewis Hamilton ter ignorado as bandeiras amarelas no Q3, o piloto foi punido e começou a prova da quinta posição. Max Verstappen assumiu o segundo lugar.

O finlandês não perdeu a ponta em nenhum momento da prova, mas teve que se defender dos diversos ataques de Lewis Hamilton. Para fechar o fim de semana do inglês da Mercedes, o piloto se envolveu em um incidente com Alexander Albon, Hamilton foi punido com cinco segundos e ficou com a quarta posição daquela prova.

Enquanto Lando Norris, acelerou na última volta, e conseguiu ganhar uma vaga no pódio. Sergio Pérez também tinha uma punição por exceder a velocidade no pit-lane, onde foram acrescentados cinco segundos ao seu tempo. Mas esses resultados não traduzem o que foi o GP de abertura do campeonato de 2020.

Max Verstappen enfrentou um problema no carro e abandonou a corrida. Enquanto Alexander Albon que era a esperança da Red Bull ter pontos e um pódio, acabou atacando Hamilton e caiu para o final do pelotão – isso já no final da prova.

O Safety Car teve papel importante nesta prova, principalmente na primeira parada da dupla da Mercedes. Nesta corrida, apenas 11 carros terminaram a prova, vários abandonos foram ocorrendo pelo caminho e Nicholas Latifi da Williams teve o azar de ficar de fora da zona de pontuação.

Relembre os acontecimentos da etapa com o nosso podcast! 

GP da Estíria – 2020

Dobradinha da Mercedes no GP da Estíria – Foto: reprodução

Todo mundo no mesmo circuito mais uma vez, novas oportunidades, mesmos pneus e a Red Bull precisando se recuperar.

Lewis Hamilton venceu a segunda corrida daquele domingo, o piloto que obteve a pole no sábado em uma chuva torrencial. O inglês se recuperou do primeiro final de semana na Áustria, marcado pelas punições e pela perda do pódio. Valtteri Bottas ficou com o segundo lugar, após ultrapassar Max Verstappen no final da prova.

Com Carlos Sainz largando da terceira posição com a McLaren, o piloto atacou Max Verstappen que estava na segunda posição.

Nesta corrida, ainda vale relembrar o embate entre Charles Leclerc e Sebastian Vettel, os pilotos se tocaram no início da prova, quando o monegasco tentou ultrapassar o alemão. O Safety-Car foi ativo e Vettel acabou abandonando. Para Leclerc também não restava muita coisa, então o piloto abandonou.

E no final da corrida, Lando Norris realizou uma ultrapassagem dupla nos carros da Racing Point, para obter a quinta posição.

Duas corridas distintas no mesmo circuito, mas deixaram o início do campeonato pegando fogo.

Relembre a corrida da Estíria com o nosso podcast! 

Como é o autódromo?

Neste fim de semana os pilotos vão completar 71 voltas, em uma pista de 4.318 KM. Mesmo sendo um circuito pequeno, ele conta com curvas rápidas, exigindo muito cuidado dos pilotos, pois é fácil ‘perder’ o carro em suas curvas. Os freios também são bem exigidos, principalmente porque os carros vão chegar com muita velocidade nas curvas.

A pista conta com três acionamentos do DRS, para ajudar nas ultrapassagens. O melhor ponto de ultrapassagem é no topo da colina, ao final de uma longa zona de DRS.

Os pneus escolhidos para o GP da Estíria – Foto: reprodução BP

Sobre a história da pista!

O primeiro GP da Áustria foi realizado em 1964 no circuito de Zeltweg Airfield, porém a pista foi considerada muito perigosa pela FIA e foi imediatamente retirada do calendário até que uma nova pista fosse construída.

De 1970 a 1987, Österreichring, passou a fazer parte do calendário da Fórmula 1, porém em 1987 ela ficou fora dos padrões exigidos pela FIA e novamente a corrida deixou de ser realizada no país.

Mudança que foi usada de 1977 até 1987 – Foto: reprodução F1 Stats

Em 1995 e 1996 ela passou por diversos processos de adequação e grande parte dela teve que ser modernizada para que, só em 1997, um novo Grande Prêmio fosse disputado. O circuito também foi rebatizado e passou a se chamar A1-Ring. Esta mesma pista foi palco de uma grande polêmica e às vezes esse incidente acaba retornando com força; explico, em 2002 Rubens Barrichello acabou recebendo uma ordem por rádio da Ferrari para realizar uma troca de posição com Michael Schumacher. Barrichello acatou a ordem na última volta, poucos metros da linha de chegada o alemão recebeu a posição do brasileiro.

A1-Ring – Foto: reprodução F1 Stats

A atitude acabou causando uma má repercussão e a FIA baniu esse tipo de prática, mas as equipes desenvolveram outros modos para realizarem essa “sutileza” na pista. Depois do incidente, 2003 foi a última corrida em solo austríaco e novamente mais um longo período passou até que a ela retornasse ao calendário.

Em 2004, um ano após da saída, iniciou-se um projeto de reforma de todas as dependências do circuito, no entanto os proprietários acabaram mudando de ideia e destruíram toda a área dos boxes, além de boa parte das arquibancadas e pista e por fim abandonaram a reconstrução do mesmo.

Somente em 2011 a Red Bull resolveu retomar o projeto de reconstrução da pista e fez a sua reinauguração, rebatizando o circuito de Red Bull Ring. Em 2013, em um acordo com Bernie Ecclestone, foi firmado para a volta da corrida no calendário e em dezembro do mesmo ano era confirmada a volta do GP da Áustria. A prova de retorno deste circuito ocorreu no dia 22 de junho de 2014, prova que contou com a vitória de Nico Rosberg da Mercedes. 

Agenda do GP da Estíria

Os horários do GP da Estíria, seguindo o horário de Brasília- Foto: reprodução BP
Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados