ColunistaFórmula 1Post

Por teimosia de Norris, Hamilton vence GP da Rússia e conquista 100ª vitória

O final da corrida foi eletrizante, a chuva mudou o cenário final, ajudando Hamilton a conquistar a vitória, seguido por Verstappen no pódio

O GP da Rússia foi marcado por uma grande reviravolta, depois de um final inacreditável. Lando Norris liderou a corrida muito bem, mostrou a garra dessa nova geração de pilotos, teve uma ótima leitura no início da prova e merecia vencer, mas ao tomar a decisão errada no final da corrida, perdeu a primeira vitória neste domingo (26). A chuva voltou a dar as caras em Sochi ao final da corrida, a pista começou a ficar molhada e apareceu aquele dilema, colocar pneus intermediários ou não?

Quem fez a troca rapidamente se deu bem, Lewis Hamilton e Lando Norris tentaram remediar a decisão da equipe. No entanto, o inglês desistiu de resistir as ordens de equipe, a sua parada na volta 51 foi determinante, dessa forma ele conseguiu vencer a corrida.

Norris, ainda teve que completar mais uma volta com os pneus de pista seca, perdeu a entrada do pódio, parou e instalou os pneus de chuva, caindo várias posições para terminar a corrida apenas na sétima posição.

O inglês da Mercedes obteve a 100ª vitória da carreira, adicionando mais uma página à história da Fórmula 1. Hamilton obteve um desempenho ainda melhor depois da sua parada de pneus, quando a equipe fez um ajuste na sua asa dianteira.

Bom para Max Verstappen, o holandês que começou a corrida da 20ª posição escalou o grid e conseguiu obter o segundo lugar. Max foi fazendo as ultrapassagens, mas também teve uma vantagem por fazer a instalação dos pneus intermediários na volta 50, ganhando em tempo e desempenho daqueles que permaneceram um pouco mais com os pneus slick.

Carlos Sainz foi do céu ao inferno, mas ainda obteve um pódio. O espanhol largou da segunda posição, assumiu a liderança, foi ultrapassado por Norris, fez uma parada cedo, perdeu desempenho, mas a decisão do momento de instalar os pneus intermediários também beneficiaram o piloto da Ferrari. Sainz que terminaria no pelotão intermediário assumiu a terceira posição.

Daniel Ricciardo representou a McLaren no quarto lugar, seguido por Valtteri Bottas que também fez uma prova de recuperação – só que mais apagada do que a de Verstappen. O finlandês também se beneficiou das paradas que ocorreram no final da corrida. Fernando Alonso ficou com a sexta posição, seguido por Lando Norris.

Kimi Raikkonen fechou a prova na zona de pontuação, obtendo a oitava posição, enquanto Sergio Pérez perdeu espaço e de quarto colocado antes das últimas paradas, foi para a nona posição. George Russell pontuou mais uma vez, ficando com a décima posição.

Saiba como foi o GP da Rússia

Na Rússia a Red Bull aproveitou a penalidade obtida por Max Verstappen, para trocar o seu motor, o piloto foi enviado para a vigésima posição. Charles Leclerc e Nicholas Latifi também passaram por uma troca de motor, precisando ocupar as últimas posições do grid.

A Mercedes optou por uma troca tática de elementos do motor, Valtteri Bottas que já tinha realizado a troca da unidade de potência na Itália, passou por uma nova troca, para que pudesse marcar Max Verstappen de perto, com o objetivo de atrasar o holandês que vai realizar uma corrida de recuperação. Sim, a Mercedes está usando uma tática de marcar homem a homem, mas Lewis Hamilton também terá que passar por uma troca de motor até o final da temporada e essa era a oportunidade perfeita para faze-la.

Antonio Giovinazzi que não teve uma boa classificação na Rússia, também foi penalizado, pois a Alfa Romeo mudou o câmbio do seu carro – algo que não alterou as suas condições de largada.

Portanto depois de todas as alterações o grid de largada ficou definido desta forma: 

Largaram com os pneus duros: Alonso, Pérez, Gasly, Bottas, Giovinazzi, Leclerc e Verstappen. O restante do pelotão optou pelos pneus duros. As equipes escolheram os pneus, já que a classificação foi realizada com chuva e a corrida iniciou com pista seca.

Com as punições, Vettel assumiu a décima posição, enquanto Pierre Gasly que cometeu um erro na classificação obteve a décima primeira posição.

Na largada Lando Norris largou bem e manteve a primeira posição, quando pareceu que Sainz tinha feito uma largada ruim, o piloto assumiu a dianteira depois de usar o vácuo do carro do espanhol. Enquanto Alonso passou reto, mas conseguiu se manter entre os primeiros colocados. Hamilton ficou na sétima posição, tendo uma largada ruim, pois foi fechado e perdeu espaço. 

Ainda na primeira volta, Ricciardo assumiu a quinta posição, ultrapassando Alonso. Raikkonen era o décimo colocado depois de ultrapassar Vettel, enquanto Mazepin era o décimo terceiro. Stroll também tinha usado a ajuda do vácuo, combinado com uma boa reação na largada para assumir a quarta posição.

Na segunda volta os dez primeiros eram: Sainz, Norris, Russell, Stroll, Ricciardo, Hamilton, Alonso, Pérez, Ocon e Sainz. Hamilton ultrapassou Alonso, assumindo a sexta posição, vale dizer que Tsunoda teve uma péssima largada e caiu para a vigésima posição.

Ocupando a ponta Sainz abriu cerca de 1s4 de vantagem para Norris, enquanto o piloto da McLaren tinha 4s1 de vantagem para Russell. Bottas e Verstappen estavam escalando o pelotão, no quarto giro eles ocupavam a 14ª posição e o 15º lugar respectivamente.

Durante a sexta volta Verstappen passou Bottas facilmente, conseguindo assumir a décima quarta posição e deixando o finlandês sozinho. Leclerc permanecia na décima segunda posição, mesmo tentando atacar Vettel.

Na oitava volta, Norris tinha reduzido a distância para Sainz e no giro seguinte já teve o direito de ativar a asa móvel para ajudar nos seus ataques e recuperar a liderança. Enquanto isso, Verstappen ultrapassou Gasly, que deu passagem para o holandês, assim o holandês assumiu a décima terceira posição.

No décimo giro os dez primeiros eram: Sainz, Norris, Russell, Stroll, Ricciardo, Hamilton, Pérez, Alonso, Ocon e Raikkonen. Leclerc cometeu um erro depois da disputa com Sebastian Vettel, dessa forma Verstappen concluiu a ultrapassagem no monegasco e partiu para a luta com Vettel.

Norris tentou por algumas voltas atacar Sainz, mas precisou abrir um pouco de distância, para resfriar os pneus.

Lance Stroll abriu a janela de paradas, desta forma o canadense realizou a sua parada e instalou os pneus duros, retornando para a pista no décimo quinto lugar. Norris assumiu a liderança depois de ultrapassar Carlos Sainz, a diferença dos motores acabou falando mais alto.

No giro seguinte Russell fez a sua parada, mas retornou atrás de Lance Stroll.

E na volta 15, foi a vez de Sainz fazer a sua parada, o piloto da Ferrari não perdeu posição para Stroll ou Russell. Norris permanecia na liderança. Enquanto Stroll estava com a volta rápida depois de anotar 1m40s793.

As paradas seguiram, Ocon e Raikkonen realizaram as trocas na volta 16. Norris seguia na liderança, acompanhado por Ricciardo, enquanto Hamilton tinha assumido a terceira posição e Pérez era o quarto colocado.

Entre os dez primeiros, Norris, Ricciardo e Hamilton estavam com os pneus médios, assim como Vettel, os outros pilotos que estavam entre os dez primeiros usavam os pneus duros.

Daniel Ricciardo foi chamado para os boxes na volta 23, mas a parada foi tão ruim que o australiano retornou atrás de Esteban Ocon, ficando na décima quarta posição.

A corrida seguiu, Norris tinha 11 segundos de vantagem para Hamilton na vigésima sexta volta. E no giro seguinte, Hamilton, Verstappen e Vettel fizeram as suas paradas. O inglês partiu para os duros, assim como Vettel, enquanto o holandês estava com os médios instalados.

Na volta 28 Norris fez a sua parada, instalando os pneus duros e conseguiu retornar à frente de Sainz. Bottas também foi chamado para os boxes, mas retornou na décima quarta posição. Pérez assumiu a liderança, acompanhado por Fernando Alonso e Charles Leclerc.

Sainz não conseguiu manter a posição, Hamilton atacou e realizou a ultrapassagem na volta 30, assumindo a sexta posição. Depois o inglês fez o mesmo com Pierre Gasly. O piloto da Mercedes estava separado por 8 segundos de Norris.

Ricciardo ultrapassou Stroll na volta 32, enquanto Sainz tentava ganhar a posição de Pierre Gasly que ainda não tinha parado nos boxes. Antes da conclusão da volta Stroll perdeu o nono lugar para Verstappen.

Mick Schumacher enfrentou um problema mecânico e abandonou a corrida na volta 34. Gasly deu passagem para Sainz pois partiu para a troca de pneus e retornou na décima sexta posição.

Foi apenas na volta 36 que Leclerc se dirigiu para os boxes, abandonado a quinta posição. No entanto, a sua parada foi ruim, mas o monegasco retornou à frente de Valtteri Bottas. Pérez fez a sua parada e retornou na quinta posição.

Enquanto isso, Alonso conseguiu passar Verstappen, caindo para a sétima posição, o tempo do holandês começou a ficar bem ruim.

E na volta 40 os dez primeiros eram: Norris, Hamilton, Sainz, Ricciardo, Pérez, Alonso, Verstappen, Stroll, Russell e Ocon. Enquanto Leclerc era o décimo segundo colocado. Norris registrou a volta rápida, anotando 1m37s423.

Leclerc teve a oportunidade de ultrapassar Ocon, para entrar na zona de pontuação durante a volta 41. Norris permanecia na ponta, com 1s5 de vantagem para Hamilton. A corrida ficou menos movimentada, com algumas poucas disputas ocorrendo por conta das distâncias que foram estabelecidas.

Quando os pilotos adentraram nas últimas dez voltas da corrida, Pérez ainda estava perseguindo Ricciardo. Alguns pilotos estavam preocupados com a chance de chuva até o final da corrida.

E na volta 44 Hamilton teve o direito de abrir a asa, pois tinha reduzido a distância para Norris em menos de um segundo.

Leclerc passou Stroll, assumindo a oitava posição, enquanto Pérez ultrapassou Ricciardo para ficar com a quarta posição.

Na volta 46, alguns pingos de chuva começaram a cair pelo circuito, a chuva começou a aumentar.

Durante a volta seguinte, Norris escapou da pista, mas conseguiu manter a liderança da corrida. Hamilton seguia abrindo o DRS, mas não conseguia fazer a ultrapassagem. Enquanto Sainz foi superado por Pérez.

Vettel ultrapassou Stroll na volta 48. E foi neste mesmo giro que Russell, Bottas e Raikkonen instalaram os pneus intermediários. Stroll bateu em Vettel, o alemão tocou o muro de contenção, mas eles seguiram.

Na volta 49 Verstappen, Sainz, Ricciardo e Stroll também partiram para os pneus intermediários.

Muita tensão, a Mercedes apostou na parada de Hamilton e instalou os intermediários, conseguindo manter a segunda posição.

Na volta 50 Norris, Pérez, Alonso, Leclerc estavam com os pneus de pista seca.

Norris perdeu desempenho, pois a chuva apertou no final. Hamilton assumiu a liderança na volta 51. Quem não tinha parado e estava perto dos boxes fez a sua parada. Enquanto Leclerc quase abandonou a corrida pois ficou inguiável. Mas ele parou, instalou os pneus intermediários e ficou com a décima quinta posição.

Norris parou na volta 52, caiu para a oitava posição, enquanto Verstappen ficou com o segundo lugar. Sainz completou o pódio.  

Ao final da corrida Ricciardo era o quarto colocado, com Bottas, Alonso. Raikkonen, foi ultrapassado por Norris que era apenas o oitavo, Pérez ficou com a nona posição, enquanto Russell ainda somou mais um ponto.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados