ColunistaFórmula 1Post

Pilotos da Academia da Renault tiveram bom aproveitamento no Bahrein

Piastri, Lundgaard e Zhou que são pilotos da base da Renault estão tiveram a oportunida de testar no Bahrein e conhecer mais so carro de F1

Os pilotos que fazem parte da Academia de pilotos da Renault, estiveram no circuito do Bahrein para a realização de atividades com o modelo R.S.18 utilizado pela equipe francesa na Fórmula 1.

O atual campeão da Fórmula 3, teve a chance de experimentar o carro para começar a se habituar com a potência e as exigências que um carro de F1 tem. O piloto australiano completou 82 voltas em seu dia de atividades, em que Oscar Piastri trabalhou o gerenciamento de combustível e conseguiu sentir as diferenças entre os pneus da Pirelli.

“Gostei muito da experiência no RS18. Foi minha primeira vez em um carro de Fórmula 1, então foi muito emocionante, e até um pouco estressante ao mesmo tempo! Depois de fazer a volta de instalação, todos os nervos foram embora e me concentrei em me divertir e guiar rápido. Foi uma experiência muito agradável e senti que o ritmo era bastante bom. Acostumei-me com o carro rapidamente e com certeza aprendi muito. Estou ansioso para quando a próxima experiência for então obrigado à Renault, tanto a Academia quanto a equipe de Fórmula 1, pela oportunidade. Sinto-me muito sortudo, porque nem todo mundo consegue fazer isso e não é algo que você faz todos os dias”, disse Piastri.

Christian Lundgaard que já andou com o modelo E20 e o RS17, completou 101 voltas na pista e não deixa de ser uma preparação para a prova que vai realizar no Bahrein com a Fórmula 2 no final deste mês. Lundgaard focou no ritmo de classificação e nas simulações de corrida.

“O objetivo desse processo é aprender ao máximo possível. Agradeço a oportunidade e certamente aproveitei cada segundo dela. Estou muito feliz, conseguimos uma boa corrida e estou bastante confiante para a corrida de Fórmula 2 em algumas semanas. Estou ansioso para isso”, concluiu Lundgaar.

Guanyu Zhou já realizou com o R.S.18 como parte do papel de piloto de testes que ele já realiza com a Renault. Mas nestes dois dias no Bahrein, o piloto que está na Fórmula 2 enfrentou alguns problemas na sua primeira sessão de atividades, desta forma o segundo dia foi bem mais intenso para que fosse possível concluir o programa estabelecido para ele da melhor forma.

Com Zhou a Renault focou na coleta de dados, onde o piloto realizou voltas em modo de classificação e simulação de corrida. Cada vez mais ele estava se familiarizando com o carro com as suas configurações.

Zhou nos testes realizados no Bahrein – Foto: Renault F1 Team

Sobre a sua participação Guanyu Zhou disse: “O primeiro dia foi complicado com alguns problemas e não tivemos muitos problemas completos. O segundo dia foi muito melhor, e concluímos nosso programa e as coisas que tínhamos que fazer. Havia muitos dados para coletar, fizemos corridas e simulação de classificação. Cada vez que estou no carro, estou imediatamente atualizado e me sinto bastante confortável. É um desafio familiarizar-se com todas as configurações, mas também é uma experiência bastante divertida. Testar no Bahrein antes da corrida de Fórmula 2 é definitivamente útil, então estou realmente ansioso para correr lá no final deste mês.”

Pilotos da academia da Renault estavam realizando atividades no Bahrein - Foto: Renault F1 Team
Pilotos da academia da Renault estavam realizando atividades no Bahrein – Foto: Renault F1 Team

Mia Sharizman, diretor da Renault Sport Academy, disse: “Ser capaz de conduzir o teste com o R.S.18 no Bahrein com todos os protocolos adicionais necessários devido ao Covid-19 é uma prova do nosso compromisso com os pilotos da Academia. Foi bom ver Christian e Guanyu conseguirem concluir seus respectivos programas, que eram mais voltados para prepará-los para as rodadas restantes da Fórmula 2 no Bahrein no final do mês. Para ambos os pilotos serem capazes de fazer mais de 100 voltas por dia, mostra um passo à frente e uma progressão para cima em relação ao teste de F1 do ano passado no R.S.17. Estou impressionado com a abordagem de Oscar em seu primeiro dia no carro de F1. Ele conseguiu acelerar muito rapidamente e completar suas atividades. Podemos ver desde o primeiro dia no carro que ele é capaz de se adaptar a um novo carro com bastante facilidade, o que é uma das maiores características que gostaríamos de ver.”

Confira outros conteúdos do Boletim do Paddock:

 

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados