ColunistaFórmula 1Post

Hamilton vence liderando de ponta a ponta o GP do Catar, enquanto Verstappen faz grande corrida de recuperação

Hamilton venceu o GP do Catar de forma consistente, com Verstappen e Alonso completando o pódio. A disputa pelo campeonato 2021 segue viva

Nesta primeira edição do GP do Catar, Lewis Hamilton conquistou a sua 102ª vitória, o piloto da Mercedes liderou a corrida de ponta a ponta. O seu time respondeu as estratégias da Red Bull neste domingo (21) para não perder a ponta de nenhuma forma, mas não arriscou a volta rápida com Hamilton, deixando este feito para o piloto holandês.

Hamilton teve mais uma vitória consistente na temporada e um segundo grande resultado após o GP de São Paulo. A disputa pelo campeonato segue viva, depois de mais um domínio da Mercedes. 

Max Verstappen foi punido antes do início da corrida, ele começou a prova da sétima posição, mas concluiu a primeira volta na quarta posição. O holandês seguiu realizando as ultrapassagens, mostrando o quanto a sua máquina é boa, desta forma ficou com o segundo lugar.

Fernando Alonso completou o pódio, o espanhol começou a corrida de P3, atacou Pierre Gasly para ficar com a segunda posição. No decorrer da prova o espanhol precisou se concentrar em ataques e na melhor forma para terminar a corrida. Alonso precisou de apenas uma parada para completar a prova e levou a Alpine para o pódio pela segunda vez na temporada. O último pódio de Alonso foi com a Ferrari em 2014, durante o GP da Hungria.

De certa forma a Red Bull cometeu um erro com Sergio Pérez e tirou o pódio do mexicano, o piloto terminou a prova em P4. Esteban Ocon ajudou a Alpine a obter um bom resultado no Catar, confirmando que neste circuito os dois estavam andando muito bem, o francês ficou com a quinta posição.

Para a Alpine é um grande resultado, eles chegaram ao Catar empatados com a AlphaTauri e vão deixar o país com o melhor resultado possível, pois o time adversário não pontuou hoje.

Lance Stroll ficou com a sexta posição, acompanhado pela dupla da Ferrari, onde Carlos Sainz ficou com a sétima posição e Charles Leclerc conquistou o P8. Lando Norris foi o nono colocado, com Sebastian Vettel completando o Top-10.

Valtteri Bottas abandonou a corrida, o piloto teve que lidar com um furo de pneu e danos no carro, desta forma não completou a prova e não pode ajudar Hamilton com relação a conquista da volta rápida. Vale lembrar que Bottas não teve uma boa largada e demorou um pouco para reagir na corrida e passar a fazer ultrapassagens. 

Está foi a última etapa de uma rodada tripla, desta forma a Fórmula 1 faz uma breve pausa até retornar para o GP de Jeddah.

Saiba como foi o GP do Catar 

Cerca de uma hora antes da largada, a FIA confirmou a punição para Max Verstappen e Valtteri Bottas. O holandês perdeu cinco posições no grid de largada por ter ignorado uma bandeira amarela dupla durante o Q3 (aquela provocada por Pierre Gasly), já o finlandês ignorou uma bandeira amarela simples, portando foi punido com a perda de três posições no grid. 

Não tinha nenhum dos dois carros da Red Bull nas primeiras linhas para a largada, Max Verstappen largou da sétima posição, enquanto Sergio Pérez era o décimo primeiro.

Largaram com os pneus médios: Hamilton, Sainz, Bottas, Verstappen, Pérez, Stroll, Leclerc, Ricciardo e Mazepin. O restante do grid estava começando a prova com os pneus macios.

Lewis Hamilton largou bem, enquanto Fernando Alonso tentou atacar Gasly, mas ficou com a terceira posição por alguns metros até conseguir dar o bote e assumir a segunda posição. Verstappen largou muito bem e saltou para o quarto lugar, ainda tentou o P3, mas o espanhol soube se defender e Verstappen ficou em P4, mas Bottas caiu para o décimo primeiro lugar.

Ao final da primeira volta os dez primeiros eram: Hamilton, Alonso, Gasly, Verstappen, Norris, Ocon, Sainz, Tsunoda, Pérez e Stroll. Na ponta Hamilton já tinha mais de 2 segundos de vantagem para Alonso.

Verstappen informava no rádio que estava travado atrás de Gasly, mas o piloto da AlphaTauri seguia atacando Alonso. Entretanto, na volta 4, Gasly escapou da pista na reta principal e o holandês realizou a ultrapassagem. E na volta seguinte foi a vez de Verstappen usar o DRS e o vácuo para assumir o segundo lugar. Hamilton tinha 3s7 de vantagem para o holandês.  

Alonso estava separado por mais de três segundos para Verstappen. No sexto giro Leclerc concluiu a ultrapassagem em Raikkonen. Bottas permanecia na décima primeira posição, atacando o canadense da Aston Martin.

Foi na sétima volta que Pérez fez a ultrapassagem em Sainz, mas o espanhol retomou o sétimo lugar. Na oitava volta Pérez assumiu a sétima posição. Toto Wolff tentava motivar Bottas para ver se o finlandês conseguia realizar ultrapassagens e entrar no Top-10.

Na nona volta, Bottas atacou Tsunoda e Stroll, o finlandês tentou uma ultrapassagem dupla, mas o piloto da Aston Martin espalhou um pouco e ficou com o nono lugar. Neste momento Bottas assumiu a décima posição, enquanto Tsunoda foi enviado para a décima primeira posição, mas no giro seguinte o japonês fez a sua parada, trocando os pneus macios pelos médios. Bottas fez a ultrapassagem em Stroll, assumindo o P9.

Kimi Raikkonen parou na décima primeira posição, retornando na vigésima posição, também utilizando os pneus médios.

Pérez seguia a sua escalada no grid, o mexicano já era o quinto colocado, passando a atacar o francês da AlphaTauri. Lando Norris era o P4.

Com a abertura da décima quarta volta, a AlphaTauri trocou os pneus de Pierre Gasly, o francês retornou na décima oitava posição, com mais de sete segundos de vantagem para Tsunoda.

Na volta 15, os dez primeiros eram: Hamilton, Verstappen, Norris, Pérez, Ocon, Bottas, Sainz, Stroll e Leclerc. O ritmo de Gasly durante a corrida era muito ruim, o piloto francês desempenhou um trabalho melhor nas voltas rápidas.

Giovinazzi que também largou com os pneus macios, fez a sua parada na volta 16, o piloto retornou atrás de Raikkonen, na vigésima posição. Valtteri Bottas começou a ter um ritmo melhor, desta forma o finlandês assumiu a sexta posição no giro 17.

A parada de Verstappen ocorreu na volta seguinte, o holandês conservou a segunda posição, retornando para a pista com os pneus duros. Russell e Hamilton foram chamados na volta 18, o inglês da Mercedes conseguiu conservar a primeira posição e ainda teve mais de 9 segundos de vantagem para Verstappen.

Pérez a sua parada na volta 20, com a proximidade do pelotão ele retornou na décima segunda posição, instalando os pneus duros.

Três voltas depois, Pérez ultrapassou Vettel, enquanto Bottas assumiu a quarta posição depois de ultrapassar Norris. Alonso foi chamado para os boxes na volta 24, o espanhol que era o P3, retornou em P8. Stroll também fez a troca dos seus pneus, retornando na décima terceira posição.

Entre os dez primeiros, Bottas, Norris, Sainz, Leclerc, Ricciardo e Vettel não tinham realizado a parada obrigatória ainda, mas os pilotos já estavam dentro da janela de trocas. A Pirelli acreditava que para concluir a corrida seria necessário fazer duas paradas.

Norris dez a troca dos pneus na volta 27, o piloto optou pelos pneus duros. E pouco depois Ricciardo e Vettel fizeram as suas trocas. Alonso se defendia de Pérez, depois do mexicano travar uma disputa com Leclerc. E na volta 28 a Ferrari optou por um pit-stop duplo e a troca com os dois pilotos foi ótima, o time italiano não cometeu nenhum erro.

Na volta 29 Pérez atacou Alonso bravamente, o espanhol tentou resistir as investidas até onde foi possível, mas o piloto da Red Bull assumiu a quarta posição. 

Raikkonen fez a segunda parada na volta 32, o piloto teve os pneus duros instalados, mês nesta prova a Alfa Romeo tinha poucas chances de pontuar.

Na volta 33, Bottas acabou com um pneu furado, o finlandês começou a se arrastar na pista para tentar chegar aos boxes. O finlandês retornou para o traçado levando muita sujeira com ele. Bottas retornou na décima quarta posição, com os pneus duros, abandonando a chance de chegar ao pódio. Alonso foi atrapalhado pelo piloto da Mercedes.

E na volta 36 do décimo ao vigésimo colocado, todos tinham levado uma volta do líder da corrida. Gasly parou pela segunda vez na volta 37. Hamilton seguia na liderança com 8 segundos de vantagem para Verstappen, enquanto o holandês estava com mais de 50 segundos de vantagem para Pérez que era o terceiro colocado.

Na volta 40 os dez primeiros eram: Hamilton, Verstappen, Pérez, Alonso, Norris, Ocon, Stroll, Sainz, Leclerc e Vettel. Verstappen informava que ele estava sofrendo com vibrações no carro. O seu pneu duro tinha 21 voltas.

Max Verstappen foi chamado para os boxes na volta 42 e instalou os pneus médios. Pérez também fez a sua parada, retornando com os pneus médios. Portanto Hamilton marcou mais uma vez a Red Bull e assim instalou os médios para ainda permanecer na primeira posição e completar as últimas voltas em segurança.

Portanto na volta 43, Alonso retornou ao pódio, assumindo a terceira posição. Hamilton seguia com mais de oito segundos de vantagem para Verstappen. Na volta 44 Pérez fez a volta mais rápida da corrida, o mexicano anotou 1m25s747.

Raikkonen atacou Latifi e ficou com a décima sexta posição. Tsunoda era o décimo quarto após fazer a ultrapassagem em Russell.

Hamilton respondeu e na volta 46 registrou 1m25s295, ficando com a volta mais rápida da prova.

Na volta 47 Pérez fez a ultrapassagem em Ocon, mas o piloto da Alpine tentou se defender dos ataques. Eles duelaram lado a lado, mas o piloto da Red Bull levou a melhor. Pérez tinha pela frente mais de 7 segundos para se aproximar de Lando Norris.

Pérez estava buscando o pódio, a McLaren fez uma segunda parada com Norris, enquanto piloto retornou na décima primeira posição. O time optou pela parada depois que o piloto começou a sentir algo de estranho com o carro. A McLaren retornou atrás da dupla da Ferrari, mas ainda na zona de pontuação.

George Russell também acabou com o pneu furado, desta forma ele se arrastou para os boxes trocando os pneus duros para um jogo de macios usados. Era o segundo furo de pneu que ocorria na corrida. Bottas abandonou a prova, o seu carro estava danificado.

Na volta 52 Latifi também foi acometido com o pneu dianteiro direito furado, o canadense também se arrastou pela pista, mas abandonou o carro na curva 6, não conseguindo retornar aos boxes.

Verstappen fez a volta mais rápida no giro 55, o holandês anotou 1m24s031. O Safety Car virtual foi ativo desta forma os pilotos tinham que reduzir a velocidade em 40%. A Red Bull fez a parada com Verstappen na volta 56, com ele retornando com os pneus macios.

O GP do Catar terminou em ritmo normal com o fim do Safety Car Virtual provocado por Latifi, Hamilton seguia com os seus pneus médios, Verstappen tentava fazer outra volta rápida. O inglês recebeu a bandeira quadriculada, vencendo pela 102ª vez na carreira, repetindo a grande performance em Interlagos.

Verstappen ficou com a volta mais rápida da prova, anotando 1m23s196, obtendo a segunda posição. Fernando Alonso completou o pódio na terceira posição, o espanhol não terminava no pódio desde o GP da Hungria de 2014.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados