ColunistaDestaquesFórmula 1Post

GP de Singapura – Vettel obtêm redenção com a Ferrari, Leclerc completa dobradinha e pódio não vê Mercedes

A doce Singapura, trouxe a felicidade para Sebastian Vettel neste domingo (22), pois o alemão não vencia uma prova desde a Bélgica 2018. Após uma boa parada nos boxes, o alemão conseguiu vantagem, mas só ficou visível quando Charles Leclerc foi para os boxes, pois enquanto o monegasco retornava a pista, Vettel realizou a ultrapassagem. O monegasco ficou com uma cara azeda após a corrida, pois em sua concepção a equipe errou com ele. 

Muita coisa aconteceu a frente deles até todos os pilotos realizarem as suas paradas, Lewis Hamilton permaneceu por muito tempo na pista e isso custou a posição para a Ferrari, mas principalmente para a Red Bull, pois desta forma os dois carros da equipe italiana terminaram no pódio, com Max Verstappen assumindo a terceira posição.

Lewis Hamilton precisou se contentar com a quarta posição. O Safety Car não veio no momento certo para o inglês e mesmo com a entrada posterior as paradas, não surtiu efeito para a Mercedes, pois mais uma vez Singapura provou que é difícil ultrapassar quando os carros estão extremamente próximos. A estratégia de Hamilton era direcionada para Leclerc, pois ele queria ter aplicado um ”golpe” semelhante ao executado por Vettel. 

Valtteri Bottas foi o quinto colocado, ameaçando o companheiro de equipe na largada, além de tentar se manter próximo. Alexander Albon da Red Bull foi mais um piloto que tentou abocanhar uma posição melhor se algo desse errado a sua frente, mas o tailandês fechou em sexto, um bom resultado pois andou próximo ao companheiro de equipe durante todo o final de semana.

Lando Norris terminou em sétimo, sendo atacado até a última volta por Pierre Gasly da Toro Rosso e Nico Hulkenberg da Renault, eles andaram a menos de um segundo atrás do piloto da McLaren que não tinha como se defender dos ataques deles, mas utilizou toda a pista, para evitar a ultrapassagem.

Antonio Giovinazzi pontuou mais uma vez ao terminar a prova em décimo, o italiano chegou a liderar algumas voltas da corrida, pois à medida que os pilotos foram parando, ele foi ganhando posições no grid. O italiano largou de compostos médios novos na décima primeira posição, foi se aproveitando dos incidentes que aconteceram na sua frente e entrou na zona de pontuação. Chegou a rodar em oitavo e próximo de terminar a prova com está posição, mas a Alfa Romeo errou na estratégia quando manteve ele por mais tempo que o necessário, assim Gasly ganhou a sua posição.

O italiano ainda se envolveu em um incidente com Daniel Ricciardo, o australiano fora ousado na tentativa de ultrapassagem pois vinha fatiando o grid. No final das contas Giovinazzi passou a correr pelo décimo lugar e conseguiu ela quando ultrapassou Magnussen.

O Safety Car entrou por três vez na pista, a primeira pela batida de Romain Grosjean com George Russell, logo depois ele retornou quando o carro de Sergio Pérez quebrou no meio do circuito e a última vez quando Kimi Raikkonen e Daniil Kvyat se tocaram.

A corrida em Singapura foi bem movimentada, apesar das quase duas horas de realização, entrando para o Rol de boas provas de 2019.

A Fórmula 1 retorna nesta próxima sexta-feira (27), para o início das atividades do Grande Prêmio da Rússia.

lll Saiba como foi a Corrida em Singapura

Na pista a temperatura estava na casa dos 37°C, com 30°C no ambiente.

O grid de largada era: Leclerc, Hamilton, Vettel, Verstappen, Bottas, Albon, Sainz, Hulkenberg, Norris, Giovinazzi, Gasly, Raikkonen, Magnussen, Kvyat, Pérez, Stroll, Grosjean, Russell, Kubica e Ricciardo.

 

Volta 1: Charles Leclerc conseguiu manter a ponta, com Hamilton e Vettel acompanhando o monegasco. Carlos Sainz foi perdendo posições, por conta de um pneu furado em um toque na largada com Nico Hulkenberg.

Lando Norris foi para a oitava posição e com Sainz fora, Giovinazzi e Magnussen ganharam uma posição cada, passando a ser o nono e o décimo respectivamente.

Volta 2: Nico Hulkenberg foi para os boxes, retornando com os pneus duros, para tentar permanecer o máximo na pista. George Russell que teve a asa dianteira danificada em um toque com Daniel Ricciardo, também foi aos boxes.

 

Daniel Ricciardo já havia chegado a décima quinta colocação.

Volta 3: A parada de Sainz foi bem lenta e o piloto da McLaren retornou a pista, já levando uma volta do líder.

Daniel Ricciardo ultrapassou Pérez, para se tornar o décimo quarto colocado.

Na ponta Hamilton tentava se aproximar de Leclerc que já havia aberto mais de um segundo de vantagem.

Volta 4 – Os dez primeiros eram: Leclerc, Hamilton, Vettel, Verstappen, Bottas, Albon, Norris, Giovinazzi, Magnussen e Gasly.

Volta 5: Hamilton estava conseguindo abrir a asa, pois passava nos pontos de detecção do DRS com menos de um segundo de diferença para Leclerc. O mesmo começava a acontecer em alguns momentos com Verstappen, que estava lutando pela terceira posição Vettel.

Volta 7: Daniel Ricciardo tentava conquistar a décima terceira posição de Stroll, mas o canadense não deixava barato, não poupando o toque roda com roda, com o australiano.

Raikkonen tentava se aproximar de Gasly, para chegar à zona de pontuação com mais um carro da Alfa Romeo.

Por ser um circuito de rua, os pilotos não conseguiam abrir grandes distâncias para os seus companheiros ou adversários e assim para todos era difícil pegar ar limpo.

Volta 10: Verstappen e Bottas estavam dentro da disputa entre Leclerc, Hamilton e Vettel. A distância de Bottas para o líder estava em pouco mais de três segundos.

Kvyat, Ricciardo e Stroll brigavam pela décima segunda posição, Ricciardo atacou conseguiu a posição de Kvyat e trouxe com ele Stroll. O australiano passou o russo por fora, com o canadense realizando a manobra por dentro.

 

Volta 12: Pérez também ultrapassou Kvyat e assim formava uma dobradinha com a Racing Point, pois Stroll estava em décimo terceiro e o mexicano vinha logo atrás.

Volta 13: Daniil Kvyat foi para os boxes, retornando de compostos duros na décima oitava posição.

Volta 14: Foi a vez de Sergio Pérez segui para os boxes, o mexicano abandonou o uso dos pneus médios para instalar os compostos duros.

Volta 15: Albon havia se aproximado de Bottas, mas como o rendimento dos pneus macios já havia caído, todos eles só se mantinham próximos, mas nenhuma ação podia dar segmento.

Volta 16: Kimi Raikkonen realizou a sua parada, retornando com os pneus duros instalados, na décima sexta posição.

Volta 18: Robert Kubica dificultava a vida de quem tentava ultrapassá-lo, Raikkonen com os pneus novos demorou um pouco, assim como Pérez e Kvyat que estavam logo atrás.

 

Volta 19: Kevin Magnussen foi aos boxes, retornando com os pneus duros e em cima de Nico Hulkenberg, os dois negociaram espaço em pista, mas o alemão seguiu na décima segunda posição.

Volta 20: Sebastian Vettel e Verstappen foram juntos aos boxes, ambos retornando de pneus duros. O alemão passava a ser o décimo, com o holandês em décimo segundo.

 

Volta 21: Hamilton assumiu a liderança da corrida, pois Leclerc foi aos boxes. No retorno do monegasco, o alemão passava por ele na saída dos boxes, desta forma assumindo a posição do companheiro de equipe. De fato, os pneus de Vettel estavam mais aquecidos e com isso o seu rendimento era superior.

 

Volta 22: Vettel conseguia a melhor volta da prova 1:45:453, já na sétima posição.

Volta 23: Bottas foi para os boxes retornando na nona posição, também de pneus duros.

 

Volta 24: Entre os dez, Hamilton líder, seguido de Giovinazzi, Gasly, Ricciardo e Stroll, não haviam trocado nenhuma vez de pneus.

Volta 26: Hamilton finalmente seguia para os boxes, retornando de pneus duros na oitava posição. Albon cometia um pequeno erro e perdia distância para Bottas.  Giovinazzi passava a liderar a corrida.

Gasly na segunda posição estava a mais de um segundo para Giovinazzi e era quase a mesma distância que Ricciardo tinha para o francês da Toro Rosso.

Volta 29: Stroll estava entre os dois carros da Ferrari e desta forma Leclerc que era o sexto colocado, desgastava os compostos atrás do piloto da Racing Point.

Sebastian Vettel conseguia assumir a terceira posição, após ultrapassar Daniel Ricciardo. Pouco depois era a vez de Stroll conseguir o quinto lugar ao concluir a ultrapassagem em Stroll.

Uma disputa interna ocorria na pista, pois Bottas passava a atacar Lewis Hamilton, para obter a oitava posição.

Volta 30: Em um toque roda com roda, Gasly e Vettel se encontraram e assim o alemão assumia a segunda posição. Vettel passou a atacar Giovinazzi que era o líder.

Volta 31: Sebastian Vettel passava a ser o líder, após ultrapassar Giovinazzi.

 

Volta 32: Stroll foi aos boxes, abandonando os pneus médios para utilizar os compostos duros.

As posições eram: Vettel, Giovinazzi, Leclerc, Gasly, Verstappen, Ricciardo, Hamilton, Bottas, Albon e Hulkenberg.

Volta 33: Pierre Gasly foi para os boxes, retornando em décimo quinto.

Giovinazzi passava a ser ultrapassado e assim Leclerc e Verstappen concluíam a ultrapassagem no italiano e deixavam a corrida mais frénetica.

Volta 34: Antonio Giovinazzi e Daniel Ricciardo se tocavam enquanto o australiano tentava realizar a ultrapassagem no italiano. O piloto da Renault ficou com o pneu furado na tentativa de ultrapassagem ousada.

 

Volta 35: Giovinazzi finalmente foi para os boxes, assim como Ricciardo, ambos retornavam de pneus duros, o italiano em décimo quinto, com o australiano em décimo sétimo.

George Russell acabava batendo no muro de contenção, após um toque entre ele e Grosjean na curva 8. Assim o carro de segurança era ativo para a remoção dele.

 

Volta 36: Com a entrada do carro de segurança, Grosjean fora para os boxes, realizar a troca da asa dianteira, que fora danificada com o toque entre ele e Russell.

Volta 37: Nico Hulkenberg, Kvyat e Giovinazzi, apostavam em mais uma parada cada, só o alemão instalou os pneus médios, os demais colocaram os compostos macios.

 

Volta 39: Carlos Sainz seguia ultrapassando os pilotos, para retornar a volta normal da prova.

Volta 41: O Safety Car deixou a pista e ocorreu a relargada.

 

Vettel conseguia se manter na ponta, deixando Leclerc para Verstappen, que tentava chegar a segunda posição. Hamilton também entrava na disputa pelo pódio

Stroll e Gasly tocavam roda com roda, o canadense queria chegar a décima primeira posição.

Volta 42: Stroll acabava furando o pneu, após se tocar com Gasly mais uma vez e quase tirava Antonio Giovinazzi que era o décimo quarto, quando começou a perder posições.

O canadense precisou realizar mais uma parada e assim retornava com os pneus macios, na décima nona posição.

Volta 43: As posições eram: Vettel, Leclerc, Verstappen, Hamilton, Bottas, Albon, Norris, Magnussen, Raikkonen e Gasly.

Volta 44: Sergio Pérez, começava a perder posições e ficava parado na décima primeira curva, provocando uma bandeira amarela.

Pouco depois a direção de prova, optou por acionar o carro de segurança para a remoção da Racing Point do mexicano.

 

Volta 45: Stroll foi mais uma vez para os boxes, instalando novos compostos macios.

Volta 48: O Safety Car deixou a pista e mais uma vez a relargada aconteceu, Vettel conseguia se manter na liderança mais uma vez e Leclerc com um pouco mais de potência, ficava próximo ao companheiro de equipe. Verstappen era o terceiro colocado, acompanhado por Hamilton em quarto.

Magnussen e Hulkenberg se tocavam roda com roda, valendo a disputa pela nona posição, enquanto isso um pouco mais atrás, Grosjean e Kvyat também se tocavam, valendo a décima terceira posição.

Volta 49: Giovinazzi assumia a décima primeira posição, após ultrapassar o companheiro de equipe. Raikkonen tentava deixar o carro largo para evitar a ultrapassagem de Kvyat.

Volta 50: Raikkonen e Kvyat acabavam se tocando na curva 2 e a suspensão do finlandês quebrou com o toque.

O carro de segurança retornou mais uma vez para a pista, para a remoção do carro do finlandês.

 

As posições eram: Vettel, Leclerc, Verstappen, Hamilton, Bottas, Albon, Norris, Gasly, Hulkenberg e Magnussen.

Volta 52: A relargada aconteceu pela terceira vez com Giovinazzi assumindo a décima posição. Vettel conseguia se manter na ponta.

 

Grosjean passou a atacar o companheiro de equipe e assim ultrapassou Magnussen, levando com ele Sainz que estava logo atrás.

O dinamarquês virou passageiro na pista e assim também foi ultrapassado por Ricciardo, caindo para a décima quarta posição.

Volta 57: Kevin Magnussen foi mais uma vez para os boxes, retornando com os pneus macios.

Volta 58: A volta mais rápida, passava por várias mãos, no entanto Daniil Kvyat não receberia nenhum ponto por ela, pois não estava entre os dez primeiros colocados.

Volta 59: Valtteri Bottas anotou 1:43:534, para receber mais um ponto.

No entanto antes da volta terminar, Magnussen anotou 1:42:301, como estava em décimo sétimo ninguém receberia o ponto pela volta mais rápida.

Volta 61:  Vettel venceu a corrida de Singapura, seguido por Leclerc e Verstappen. Sem nenhuma Mercedes no pódio.

 

 

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados