ColunistaFórmula 1Post

GP da Turquia – Características e estatísticas de Istambul

O GP da Turquia retornou para o calendário de 2020 da Fórmula 1, após a pandemia cancelar várias corridas do calendário

O primeiro GP da Turquia foi disputado no dia 21 de agosto de 2005 como a 14ª etapa daquela temporada, uma coincidência com este ano, já que a Fórmula 1 está retornando para o circuito turco para a realização da 14ª etapa de 2020.

O traçado por projetado pelo arquiteto Hermann Tilke, um circuito no formato anti-horário e que esteve presente na Fórmula 1 de 2005 até 2011. O “Istanbul Park” já foi chamado de “a melhor pista do mundo” por Bernie Ecclestone, que detinha os direitos de gestão do circuito, entre 2007 e 2011.

Uma pista exigente pela quantidade de forças que acabam atuando no carro e nos pneus, a curva 8 é muito lembrada por ser longa e o circuito de Sochi ter se inspirado nela para a construção da sua curva 3, o pneu dianteiro direito é muito exigido. A curva 8 tem quatro tomadas consecutivas, mas combina inclinação e mudanças. A reta que apresenta uma curva ascendente foi muito comparada com a Eau Rouge de Spa e conhecida como “Faux Rouge”, todos esses desafios sempre foram uma grande emoção para os pilotos.

Confira: GP da Turquia – Os pneus escolhidos para a 14ª rodada da temporada 2020

O traçado possuí algumas elevações e mudanças, somado ao fato de ser anti-horário, os pilotos sentem uma tensão maior, além disso ele acaba por ser um circuito de alta velocidade. São 5,338 km com 14 curvas, mas o asfalto mudou muito desde a última vez que a Fórmula 1 esteve por lá, aliás, recentemente a pista foi recapeada, mudando as suas características.  

Desafio

A Mercedes chega como a favorita para o circuito, principalmente por conta do seu trabalho aerodinâmico e parece ser um ponto muito importante a ser observado, já que os pilotos que correram entre 2005 e 20011 julgavam esse quesito até mais importante do que a ação dos próprios pilotos. Mas a Red Bull pode mostrar o seu potencial na pista, a última vitória lá em 2011 é do time Austríaco com Sebastian Vettel.

Outro ponto importante é que com a pista recapeada, os pilotos vão se deparar com um circuito “verde” e assim como Portimão, os pilotos vão precisar lidar com o aquecimento dos compostos e o momento ideal para buscar a melhor volta, lidando com todas as adversidades do próprio circuito. Rodar e extravasar os limites de pista estão neste pacote.

Em 2011, Vettel venceu a prova, mas precisou realizar 4 paradas nos boxes, ocorreram diversas trocas de pneus e a prova foi bem agitada com um grande número de ultrapassagens. 

Entre os destaque na pista, vale lembrar de Felipe Massa, o brasileiro conquistou três poles e três vitórias no circuito. Uma delas foi em 2006, a sua primeira vitória com a Ferrari, o brasileiro voltou a repetir o feito com o time italiano em 2007. Naquele campeonato de 2008 que já começou pegando fogo, Massa venceu na pista turca, conquistando a sua segunda vitória do ano.

Foto: reprodução

Por conta da pandemia de Covid-19, a Fórmula 1 optou pela retomada da Turquia, já que neste fim de semana a categoria não teria como realizar o GP do Brasil. A prova turca deixou o calendário por conta dos problemas que eram enfrentados para a realização do evento, a distância do circuito até o centro da cidade, o preço dos ingressos e o trânsito complicado passaram a inibir o público e o evento passou a trazer prejuízos.

As estatísticas da Turquia 

Vitórias | Pilotos
1. Felipe Massa – 3
2. Kimi Raikkonen – 1
3. Jenson Button – 1
4. Lewis Hamilton – 1
5. Sebastian Vettel – 1

Vitórias | Construtores
1. Ferrari – 3
2. McLaren – 2
3. Brawn GP – 1
4. Red Bull – 1

Vitórias | Motores
1. Ferrari – 3
2. Mercedes – 3
3. Renault – 1

Poles | Pilotos
1. Felipe Massa – 3
2. Sebastian Vettel – 2
3. Kimi Raikkonen – 1
4. Mark Webber – 1

Poles | Construtores
1. Ferrari – 3
2. Red Bull – 3
3. McLaren – 1

Poles | Motores
1. Ferrari – 3
2. Renault – 3
3. Mercedes – 1

Melhores Voltas | Pilotos
1.Kimi Raikkonen – 2
2. Juan Pablo Montoya – 1
2. Michael Schumacher – 1
3. Jenson Button – 1
4. Vitaly Petrov – 1
3. Mark Webber – 1

Melhores Voltas | Construtores
1. Ferrari – 3
2. McLaren – 1
3. Brawn GP – 1
4. Renault – 1
5. Red Bull – 1

Melhores Voltas | Motores
1. Ferrari – 3
2. Mercedes – 2
3. Renault – 2

Pódios | Pilotos
1. Fernando Alonso – 4
2. Felipe Massa – 3
3. Kimi Raikkonen – 3
4. Mark Webber – 3
5. Lewis Hamilton – 2
6. Jenson Button – 2
7. Sebastian Vettel – 2
8. Juan Pablo Montoya – 2
9. Michael Schumacher – 1

Pódios | Construtores
1. Ferrari – 7
2. McLaren – 6
3. Red Bull – 5
4. Renault – 2
5. Brawn GP

Pódios | Motores
1. Mercedes – 7
2. Renault – 7
3. Ferrari – 7

Voltas Na Liderança | Pilotos
1. Felipe Massa – 151
2. Kimi Raikkonen – 63
3. Jenson Button – 61
4. Sebastian Vettel – 57
5. Mark Webber – 38
6. Lewis Hamilton – 30
7. Michael Schumacher – 4
8. Heikki Kovalainen – 1
9. Fernando Alonso – 1

Voltas Na Liderança | Construtores
1. Ferrari – 160
2. Red Bull – 95
3. McLaren – 93
4. Brawn GP – 57
5. Renault – 1

Voltas Na Liderança | Motores
1. Ferrari – 160
2. Mercedes – 150
3. Renault – 96

Voltas Percorridas | Pilotos
1. Fernando Alonso – 406
2. Jenson Button – 404
3. Rubens Barrichello – 390

Voltas Percorridas | Construtores
1. Renault – 809
2. Ferrari – 785
3. McLaren – 753

Voltas Percorridas | Motores
1. Ferrari – 1833
2. Renault – 1434
3. Mercedes 1367

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo