ColunistaFórmula EPost

Fórmula E: categoria é a primeira a receber certificação de pegada de carbono zero

A conquista veio após grandes investimentos em projetos certificados internacionalmente para compensar as emissões de CO2 durante suas primeiras temporadas

O anúncio de que a Fórmula E se tornou a primeira categoria esportiva certificada como “pegada líquida de carbono zero” foi feito hoje (21/09) durante o lançamento da Climate Week NYC 2020. 

Para atingir tal feito, a Fórmula E precisou seguir a abordagem recomendada pela Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (UNFCCC, em inglês) que apresenta três passos fundamentais:

  1. Medição efetiva da produção de carbono
  2. Priorização da redução da sua pegada (rastros)
  3. Compensação das emissões inevitáveis restantes

O cálculo dos rastros de carbono deixados pela categoria vem sendo feito desde a sua temporada inaugural, o objetivo sempre foi diminuir as pegadas deixadas pelo caminho. A identificação do que precisava ser feito foi realizada através da estreita parceria com a Quantis, empresa especializada em avaliação do ciclo de vida de materiais e em sustentabilidade.

Entre os frutos dessa relação está a certificação ISO 20121, conseguida em janeiro deste ano. Ela foi resultado da redução de emissões de gases nocivos ao meio ambiente, incluindo a otimização do transporte e da logística, da ampliação das opções de fim de vida para células de baterias de íons de lítio e da eliminação de plásticos descartáveis durante as corridas.

Isso significa 200.000 garrafas plásticas a menos durante as corridas (substituídas por bolsas de água reutilizáveis). Para a movimentação de seu pessoal, a Fórmula E leva para seus eventos, apenas o pessoal necessário que está relacionado às corridas e durante as provas na Europa, o translado é feito por trens, sempre que possível.

Os estudos com a Quantis revelaram que o frete de carros e equipamentos durantes as corridas, majoritariamente feito por navios, é responsável por 72% das emissões de gases poluentes da categoria. 

As principais ações para a redução dos danos foram:

  1. Otimização o calendário para permitir que o frete marítimo cubra vários continentes
  2. Uso de uma abordagem multimodal com ferrovia e estrada preferencial sobre frete aéreo para reduzir as emissões
  3. Carregamento apenas de itens críticos para as corridas para reduzir o peso, utilizando embalagens mais eficientes
  4. Realização de auditorias de inventário de frete para identificar quais itens de frete não essenciais podem ser removidos para reduzir o peso e também o que pode ser adquirido localmente

Os fornecedores da Fórmula E também são instigados a garantir que seus produtos também sejam de baixo impacto. Ou seja, produtos e bebidas locais e expositores dos eventos devem adotar uma abordagem sustentável em seus processos de aquisição, bem como a construção, operação e conteúdo de seus estandes.

As emissões inevitáveis da categoria foram certificadas como compensadas por meio de investimentos em projetos da ONU Padrão-Ouro e Padrão de Carbono Verificado, que estavam alinhados com o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo da UNFCCC. A certificação de compensação vale para as seis temporadas da Fórmula E.

Os projetos que receberam investimentos focam na produção de energia renovável e maximizam os benefícios ambientais dos carros elétricos. O objetivo é deixar marcas positivas e tangíveis nos locais que recebem corridas da categoria.

Desde sua concepção, a categoria levanta a bandeira da sustentabilidade e da preservação ambiental. O novo passo foi celebrado pelo CEO Jamie Reigle: “O ABB FIA Formula E Championship tem como objetivo entregar melhores futuros através das corridas, e estamos comprometidos em desempenhar um papel de liderança na contramão dos efeitos das mudanças climáticas. Medimos e reduzimos ativamente nossas emissões desde nosso início e estamos orgulhosos de ter alcançado uma pegada líquida de carbono zero, compensando nossas emissões restantes”.

A categoria promete não parar por aqui, com a carta da ONU assinada na última semana, a Fórmula E se comprometeu com a campanha global das Nações Unidas Race to Zero para descarbonizar a economia, criar novas oportunidades de emprego de qualidade e alimentar o crescimento inclusivo e sustentável.

 

Mostrar mais

Cinthia Venâncio

Cearense que acompanha Fórmula 1 desde que se entende por gente. Faz aniversário no mesmo dia do Damon Hill.

Deixe uma resposta

Artigos relacionados