ColunistaFórmula 1Post

Em prova agitada marcada por abandono de Leclerc e defesa de Russell, Verstappen vence em Barcelona

Com várias mudanças de posição e até erro de Verstappen, holandês ainda consegue receber a bandeira quadriculada na primeira posição

O GP da Espanha foi movimentado, bem diferente do que era esperado para este domingo (22) por conta das características da pista. Talvez se o caro leitor se atentar apenas ao pódio, não ache que essa prova foi muito boa, mas recomendo encarecidamente que veja a volta por volta desta corrida para ver todas as movimentações.

Charles Leclerc largou da pole e conseguiu manter a liderança depois do início da prova. O monegasco liderava a prova com folga, até enfrentar um problema de falta de potência e abandonar a corrida. Ninguém esperava por esse problema, na verdade, era mais possível a dupla da Ferrari lidar com o desgaste dos pneus.

Desta forma a prova foi se desenhando para uma possível dobradinha da Red Bull na corrida, mesmo após Verstappen ter cometido um erro, extravasado os limites de pista e passado pela brita, retornando atrás de Russell e Pérez. George Russell assumiu a liderança da prova, mas teria que se defender de dois carros da Red Bull por muitas voltas, algo que era inviável para o seu carro. O piloto inglês da Mercedes enfrentou vários ataques de Max Verstappen, mas tinha uma certa folga para o holandês em alguns momentos, pois o adversário lidou com um problema no DRS. O piloto da Mercedes resistiu bravamente os ataques do adversário, dando um lado da pista que não era favorável para a ultrapassagem.

Verstappen esbravejou no rádio sobre o problema no DRS, algo que já tinha afetado ele na decisão da pole. Sergio Pérez também entrou nessa matemática, com um carro que não tinha problemas, em um momento Verstappen precisou abrir passagem para Pérez, que foi buscar a liderança da prova que estava nas mãos de Russell.

Infelizmente, mesmo com Pérez administrando a liderança da prova, o mexicano precisou ceder o P1 para Max, tudo isso pensando no campeonato e na forma como ele está se desenhando.

Depois de alguns trancos e barrancos, Verstappen assumiu a liderança da prova, para emplacar mais uma vitória na temporada. George Russell completou o pódio, o piloto fez uma grande corrida, mas também contou com o abandono de Leclerc e o erro de Carlos Sainz no início da prova para ter esse resultado.

Restou para Sainz a quarta posição depois de uma corrida de recuperação. Lewis Hamilton também precisou fazer uma prova de recuperação, pois foi tocado por Kevin Magnussen no começo da corrida. O inglês pensou em abandonar a prova, mas a equipe foi incisiva ao permanecer com ele em pista, garantindo mais alguns pontos.

Depois de uma estratégia errada da Alfa Romeo, Valtteri Bottas teve que se contentar com o sexto lugar, acompanhado por Esteban Ocon, Lando Norris, Fernando Alonso e Yuki Tsunoda que fecharam o top-10.

A Fórmula 1 já retorna na próxima semana para a realização do GP de Mônaco.

Saiba como foi o GP da Espanha

Fernando Alonso provocou uma pequena alteração na ordem do grid pois o espanhol recebeu uma punição pela troca do motor. A Alpine aproveitou que ele se classificou na 17ª posição, para trocar os componentes da sua unidade de potência. Correndo em casa Alonso largou da 20ª posição.

A temperatura na pista estava na casa dos 49°C, com 36°C no ambiente.

Apenas Hamilton começou a corrida com os pneus médios, o restante do pelotão largou com os pneus macios. Leclerc, Verstappen, Sainz, Russell, Bottas, Magnussen, Ricciardo, Schumacher, Vettel e Stroll, começaram a prova com pneus macios já usados.

Luzes vermelhas apagadas, Leclerc que conquistou a pole largou muito, mas era atacado rapidamente por Verstappen. Sainz largou muito mal e caiu para a sexta posição, mas na sequência o espanhol retomou o quinto lugar. Pela reação ruim do espanhol, Pérez ultrapassou Sainz que ficou com a asa dianteira parcialmente danificada. Magnussen tocou em Hamilton e os pilotos caíram para o final do pelotão, com o pneu dianteiro esquerdo do piloto inglês ficando furado. Desta forma Hamilton ele foi se arrastando para os boxes para substituir os compostos.

Ao final da primeira volta os dez primeiros eram: Leclerc, Verstappen, Russell, Pérez, Sainz, Schumacher, Bottas, Ricciardo, Ocon e Norris. Schumacher teve uma ótima reação na largada e saltou para a sétima posição, como Hamilton caiu para o vigésimo lugar, o alemão ganhou mais uma posição no grid. Hamilton retornou para a pista com os pneus macios instalados, o incidente não teria mais nenhuma investigação.

Na terceira volta, Verstappen estava separado por cerca de 800 milésimo do monegasco, mas o líder da prova tenta se distanciar. No giro seguinte, Bottas ultrapassou Schumacher para ficar com a sexta posição. Instantes depois Alonso seguia sua escalada no grid, para ocupar a décima quarta posição.

O carro da Haas não conseguia aguentar a pressão, desta forma Schumacher foi ultrapassado por Ocon. Vettel e Alonso disputavam a décima terceira posição, com o piloto da Alpine buscando mais uma ultrapassagem neste começo de prova.

Na sétima volta Sainz extravasou os limites de pista na curva 4, depois de perder o carro. O espanhol caiu para a décima primeira posição, prejudicando mais ainda a sua prova, principalmente em uma pista onde as ultrapassagens não são muito fáceis e ele já tinha começado a corrida com os pneus macios usados.

O mexicano tentava atacar Russell, buscando a terceira posição. E na volta nove foi a vez de Verstappen escapar no mesmo ponto que Sainz, o holandês caiu para a quarta posição, ficando atrás de Pérez. Na sequência Norris tinha ganhado a posição de Ricciardo e Schumacher, para ficar com a sétima posição.

Pérez passou por Verstappen na volta seguinte, para o mexicano buscar o segundo lugar que era Russell. Neste momento Sainz, Alonso, Gasly e Zhou foram aos boxes e instalaram os pneus médios.

Na décima segunda volta, Tsunoda e Ricciardo pararam, o piloto da AlphaTauri voltou com os pneus médios, enquanto o australiano apostou nos macios. As paradas tinham começado, então vários competidores estavam realizando as suas paradas. Verstappen tinha o direito de usar o DRS, mas não conseguia acionar o dispositivo, desta forma permanecia na terceira posição.

Russell e Verstappen pararam na décima quarta volta. O inglês retornou na quarta posição, com o holandês em quinto. Sainz ultrapassou Norris para ficar com a décima posição. O grid ficava bem mexido com todas as paradas que estavam acontecendo. Leclerc aguardava na liderança com mais de 14 segundos de vantagem para Pérez que era o segundo colocado.

Com quinze voltas os dez primeiros eram: Leclerc, Pérez, Russell, Verstappen, Vettel, Bottas, Ocon, Sainz Norris e Tsunoda. O DRS de Verstappen abriu parcialmente, mas rapidamente o holandês ficou mais uma vez na mão, por conta desse problema.

Verstappen seguiu os seus ataques em Russell, mas o piloto da Mercedes sabia se defender muito bem. Alonso era o décimo primeiro colocado, enquanto Hamilton estava na décima sexta posição. Pérez realizou a sua troca na décima oitava volta, retornando na quarta posição com os pneus médios. Leclerc tinha 30 segundos de vantagem para Russell. Estavam com os pneus macios nesta parte da prova, Leclerc, Vettel, Schumacher, Ricciardo, Hamilton e Stroll. Apenas Leclerc e Vettel não tinham parado ainda.

Leclerc foi chamado para os boxes durante a vigésima segunda volta, o monegasco retornou na liderança da corrida após instalar os pneus médios. Russell permanecia na segunda posição, enquanto Verstappen estava na terceira posição. Vettel também trocou os seus pneus, mas retornou na décima sétima posição, muito longe de Fernando Alonso.

Como Hamilton teve aquele infortúnio na largada com Magnussen, o piloto da Mercedes foi chamado mais uma vez para os boxes na vigésima terceira volta, retornando com os pneus médios. Neste mesmo instante o DRS de Verstappen abriu, o piloto holandês mergulhou, mas Russell insistiu na sua linha, fazendo a defesa da posição. O piloto da Mercedes deu o x’s em Verstappen e seguiu, conseguindo permanecer com a segunda posição. Na volta seguinte, o DRS de Verstappen voltou a não funcionar.

Pérez começou a pedir a inversão da posição entre eles e Verstappen, pois o mexicano tinha mais chance para realizar a ultrapassagem no piloto britânico. Pelo restante do pelotão as disputas tinham parado pois as distâncias estabilizaram.

Leclerc passou a enfrentar a falta de potência, o piloto monegasco seguiu para o grid, para abandonar a prova. Gasly, tocou em Stroll fazendo o piloto da Aston Martin rodar, o canadense seguiu para os boxes para substituir os pneus.

Verstappen é chamado para os boxes na volta 29, retornando com os pneus médios atrás de Bottas, mas sem contar com o DRS não seria muito fácil para ele. Alguns pilotos como Zhou já estavam apostando na segunda parada.

Na volta 30 os dez primeiros eram: Russell, Pérez, Bottas, Verstappen, Sainz, Ocon, Norris, Tsunoda, Alonso e Schumacher. O mexicano começou a pressionar Russell e na volta seguinte Pérez assumiu a liderança da prova depois de ultrapassar o piloto da Mercedes. Zhou seguiu para os boxes para abandonar, também com falta de potência.

Por fora Verstappen ultrapassou Pérez, ficando com a terceira posição. O holandês tinha o benefício de um pneu macio novo. Sainz fez mais uma parada, assim como Alonso e Ricciardo. O espanhol da Ferrari retornou na oitava posição, atrás de Tsunoda usando pneus médios novos. Alonso foi para os macios, enquanto Ricciardo usava os médios.

Já na volta 35, Alonso ultrapassou Tsunoda, Norris tinha trocado os seus pneus, para retornar na nona posição. Bottas também fez a sua segunda troca, conseguindo ficar à frente de Sainz. Entre os dez primeiros, apenas Pérez, Russell, Ocon e Vettel não tinham realizado uma segunda parada ainda.

Russell fez a sua segunda troca de pneus na volta 37, evitando o ataque de Verstappen. O britânico da Mercedes foi devolvido na terceira posição. Respondendo a parada de Russell, Pérez foi para os boxes no giro seguinte, conseguindo conservar a segunda posição. Verstappen assumiu a liderança, mas estava com um pneu macio instalado. Desta forma apenas Vettel estava entre os dez primeiros sem uma segunda troca de pneus.

Sainz tentava se aproximar de Bottas, valendo a quarta posição e com a possibilidade de salvar alguns pontos para a Ferrari. Magnussen tinha ultrapassado Albon, assumindo assim a décima sétima posição.

Novamente a corrida deu uma estabilizada. Vettel parou na volta 44,  retornando em décimo quarto. Verstappen tinha cerca de quinze segundos de vantagem para Pérez. Com os pneus macios já bem degradados, o holandês parou no giro seguinte. O holandês foi devolvido atrás de Pérez, com Russell na terceira posição.

Na volta 45 os dez primeiros eram: Pérez, Verstappen, Russell, Bottas, Sainz, Hamilton, Ocon, Norris, Alonso e Tsunoda. Vettel ultrapassou Gasly, ficando com a décima terceira posição. Sainz fez mais uma parada, retornando atrás de Ocon e Hamilton, agora usando os pneus macios. Verstappen se aproximava de Pérez e a Red Bull já tinha alertado o mexicano que ele não deveria apresentar resistência para o companheiro de equipe. Pérez deixou claro que isso não era justo, mas não tinha muito o que fazer. Com a corrida terminando desta forma, o time austríaco teria uma dobradinha.

Na volta 49 Verstappen retornou a liderança, pois Pérez tirou o pé para o holandês passar. Hamilton fez a sua outra parada, instalando pneus macios, mas o inglês ainda estava dentro do top-10, com a sétima posição. Sainz permanecia no quinto lugar, com doze segundos separando ele de Bottas.

Durante a volta 51, Hamilton conseguiu a sexta posição, ultrapassando Ocon. A Mercedes parou Russell mais uma vez no giro 52, o piloto da Mercedes estava atrás de Bottas, mas com pneus macios, conseguia manter um bom ritmo para se aproximar do finlandês. Norris também parou.

De passagem, Russell também ultrapassou Bottas. Pérez fez outra parada na volta 54, retornando com apenas 4 segundos de vantagem para o piloto da Mercedes. Com a parada de Alonso na volta 55, os dez primeiros eram: Verstappen, Pérez, Russell, Bottas, Sainz, Hamilton, Ocon, Norris, Schumacher e Alonso.

Hamilton se aproximou da disputa entre Sainz e Bottas. Na volta 58, tanto o espanhol quando o inglês ganharam a posição do piloto finlandês que caiu para o sexto lugar. Com pneus de três voltas mais macios, Hamilton partiu para o ataque em Sainz e concluiu a ultrapassagem na volta 60. Hamilton então se tornou o 4º colocado. A Mercedes apostava que o piloto conseguiria um P8, mas o inglês estava obtendo um resultado muito melhor.

A Mercedes alertou que Russell e Hamilton para tirarem um pouco o pé, pois a pressão da água do motor acabou caindo e assim elevou a temperatura das suas unidades de potência.

Verstappen recebeu a bandeira quadriculada na liderança, obtendo a sua 24ª vitória da carreira, dividindo o pódio com Pérez e Russell.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados