ColunistaFórmula 1Post

Bottas vence, mas é Max Verstappen que termina o GP da Turquia com saldo positivo

Bottas venceu a corrida, enquanto a Red Bull obteve uma dobradinha na Turquia. Enquanto Verstappen retorna para a liderança do campeonato

O GP da Turquia foi uma corrida de estratégia, lembrando muito o que ocorreu na pista na temporada passada. Valtteri Bottas venceu a corrida, conquistando a sua 10° vitória da carreira depois de vencer pela última vez no GP da Rússia de 2020.

Foi uma corrida consistente realizada por Bottas, o piloto manteve a ponta na largada, se defendendo muito bem dos ataques de Max Verstappen. Depois que ele teve que administrar a corrida para vencer. Atacou Charles Leclerc quando o piloto da Ferrari pensava em terminar a corrida sem paradas, para garantir a ponta.

O saldo para a Red Bull é muito positivo, principalmente por ser uma pista bem complicada para a equipe. Eles começaram o fim de semana com dificuldade para configurar o carro, portanto o objetivo era conquistar a maior quantidade de pontos. Para a surpresa, Max Verstappen terminou a corrida na segunda posição, conservando o P2, enquanto Sergio Pérez retornou ao pódio conquistando a terceira posição.

Verstappen encerra o GP da Turquia na liderança do campeonato, reassumindo a ponta depois do GP da Rússia, agora o piloto da Red Bull conta com 262,5 pontos, contra 256,5 de Hamilton.

Charles Leclerc fez uma grande corrida, mesmo terminando a prova em P4. O monegasco largou da terceira posição, fez algumas voltas em P2, liderou a corrida e namorou a vitória, mas com a necessidade de realizar uma parada depois de ser ultrapassado por Bottas, perdeu um pouco de performance com os novos pneus intermediários. Leclerc foi ultrapassado por Pérez e terminou a corrida do 4º lugar.

Lewis Hamilton foi o quinto colocado – o momento errado de fazer a parada, fez o inglês ficar com está posição. Na corrida observamos uma discussão entre Hamilton e o engenheiro, a parada foi feita no limite para não perder a posição para o piloto da AlphaTauri, mas Hamilton perdeu muita performance, além do pódio, ficando próximo de ser ultrapassado por Pierre Gasly.

O que me leva a pontuar a corrida do francês. Gasly foi penalizado depois de um incidente com Fernando Alonso, mas o piloto da AlphaTauri ainda conseguiu garantir alguns pontos para a equipe depois de terminar no sexto lugar.

Lando Norris completou a prova da McLaren com o sétimo lugar. Carlos Sainz também fez uma grande corrida de recuperação, mas teve que lidar com um erro na parada. Mesmo assim o espanhol que começou de P19, fechou a corrida em P8, depois de negociar boas ultrapassagens.

Lance Stroll completa o top-10 com o nono lugar, enquanto Esteban Ocon fechou a corrida em P10, o francês da Alpine concluiu a corrida com os mesmos pneus que começou a prova.

Saiba como foi o GP da Turquia  

A McLaren realizou a troca de alguns componentes da unidade de potência usada por Daniel Ricciardo, desta forma o piloto australiano começou a corrida da última posição.

Desta forma o grid de largada ficou desta forma. Lembrando que Lewis Hamilton começou a corrida da 11ª posição pois a Mercedes realizou a troca do motor de combustão interna do seu carro, desta forma o inglês foi penalizado. 

A chuva chegou ao circuito da Turquia, na volta de alinhamento do grid a pista estava molhada e os pilotos utilização os pneus de chuva para completar o giro.

As estratégias foram zeradas, pois a pista foi declarada como molhada, desta forma todos os pilotos começaram a corrida com os pneus intermediários instalados. Uma oportunidade para Yuki Tsunoda que em pista seca teria que começar a corrida com os macios.

Largada

Valtteri Bottas estava na ponta, mas ao seu lado tínhamos Max Verstappen. O finlandês largou bem e manteve a primeira posição. Pierre Gasly tocou Fernando Alonso depois de ficar sem espaço por ser atacado por Sergio Pérez, fazendo o espanhol rodar e cair para a decima oitava posição. Ocon aproveitou o momento para atacar Hamilton tentando obter a décima posição. Pouco depois Alonso tocou Mick Schumacher e fez o piloto da Haas cair para a 19ª posição. 

Ao final da primeira volta Hamilton ultrapassou Vettel para assumir o 9º lugar. A dupla da Alfa Romeo largou muito bem, assumindo o 12º e 13º lugar com Giovinazzi e Raikkonen respectivamente. Latifi não teve um bom começo e caiu para o 20º lugar depois de rodar.

Na terceira volta os dez primeiros eram: Bottas, Verstappen, Leclerc, Pérez, Gasly, Norris, Stroll, Tsunoda, Hamilton e Vettel. A pista seguia bem molhada, mas os pilotos já buscavam um trilho melhor, portanto as disputas por realizar ultrapassagens ficavam prejudicadas.  

As ultrapassagens ficavam mais complicadas, Hamilton estava estacionado no 9º lugar, atacando Tsunoda constantemente. No entanto Sainz já era o 14º colocado com a Ferrari no 5º giro, depois de começar do 19º lugar. O uso do DRS estava proibido, a pista seguia muito molhada, dificultando as ultrapassagens.

Carlos Sainz chegou ao 12º lugar depois de ultrapassar a dupla da Alfa Romeo na oitava volta. E no mesmo giro Hamilton ganhou a 8ª posição depois de atacar Tsunoda e realizar a ultrapassagem. Gasly foi declarado como culpado no toque com Alonso, desta forma foi penalizado com cinco segundos.

A corrida seguiu, Hamilton também ganhou a posição de Lance Stroll, o próximo piloto que o inglês enfrentaria era Lando Norris com a McLaren. Fernando Alonso também foi penalizado com cinco segundos por conta do incidente com Mick Schumacher no início da prova. 

Na décima volta os dez primeiros eram: Bottas, Verstappen, Leclerc, Pérez, Gasly, Norris, Hamilton, Stroll, Tsunoda e Vettel. Hamilton obteve a volta mais rápida a corrida, anotando 1m34s206, melhorando muito mais o eu ritmo depois que deixou Tsunoda para trás.

Bottas tinha mais de 2s4 de vantagem para Verstappen, era praticamente a mesma distância do holandês para Leclerc.

Hamilton seguia fazendo a volta mais rápida, atrás de volta mais rápida, enquanto tentava reduzir a diferença para Gasly que ainda estava na casa de 2 segundos na 13ª volta.

Na volta seguinte Sainz assumiu a décima posição, mas eles se tocaram depois que o espanhol acabou escorregando um pouco. Desta forma Sainz já estava no Top-10. A disputa também estava intensa, Gasly foi ultrapassado por Hamilton, com o piloto da Mercedes fazendo o uso do vácuo, mas também contando com o motor para ganhar a posição.

Se aproximando da volta 20, Hamilton reclamava do desgaste dos pneus, pois os compostos estavam criando uma faixa de degradação. No entanto, a Red Bull informava para Verstappen que eles tinham um pneu em melhores condições do que os da Mercedes, portando o holandês começou a forçar o ritmo.

Chegando a vigésima volta, Sainz era o nono colocado, assumindo a posição depois de ultrapassar Tsunoda. Desta forma os dez primeiros eram: Bottas, Verstappen, Leclerc, Pérez, Hamilton, Gasly, Norris, Stroll, Sainz, Tsunoda.

Vários pilotos estavam com problemas nos pneus, mas os estrategistas estavam quebrando a cabeça sobre qual pneu instalar e quando fazer essa troca. Ricciardo foi usado de cobaia pela McLaren, o australiano parou instalando novos pneus intermediários, retornando na 18ª posição. Tsunoda rodou sozinho e caiu para a 13ª posição. Os pneus para chuva estavam bem danificados neste ponto da corrida, com a sua vida útil prejudicada.

Ricciardo retornou muito lento para a pista, completando a sua volta com 1m52s194. Essa era uma informação para o restante do grid, portanto os pilotos ainda estavam permanecendo na pista e alongando o seu stint. Ricciardo melhorou a sua performance, tendo tempos semelhantes aos obtidos por Bottas e Verstappen na ponta, a partir da 24ª volta.

Os times ainda não estavam confiantes para realizar uma troca de pneus. No entanto, provavelmente eles estavam rumando para terminar a corrida com apenas uma parada.

Durante a volta 29, Ocon e Vettel duelavam pela décima posição, mas o alemão fazia muito bem as suas defesas de posição. Outro duelo que ocorria na pista era entre Pérez e Hamilton, além de Stroll e Sainz. Um pouco de chuva começou a cair em algumas partes da pista, prejudicando ainda mais a decisão das equipes sobre as suas paradas.

Fernando Alonso foi para os boxes na volta 32, cumpriu a sua punição e retornou na décima oitava posição, atrás de Ricciardo.

Na volta 34, Ricciardo ganhou a posição de Latifi, ficando com a décima sétima posição. A chuva ainda insistia em cair em alguns pontos da pista. Pérez e Hamilton tinham um embate mais direto, até mesmo um toque sutil ocorria entre eles, mas o inglês ainda não conseguiu realizar a ultrapassagem. O mexicano tentava escolher o lado ideal para fazer a curva e deixar o piloto da Mercedes para trás.

Norris parou na volta 35, instalando outros pneus intermediários. Verstappen, Tsunoda e Russell foram chamados na volta 37, apostando na mesma escolha de pneus. O holandês retornou na terceira posição, à frente de Pérez. A parada de Sainz foi ruim, mas o piloto ficou com a décima posição.

Na volta 38, Bottas e Pérez fizeram as suas trocas, colocando mais uma vez os intermediários. No entanto, a Aston Martin arriscou com Vettel, colocou os pneus médios, mas não tinha aderência alguma. Desta forma precisou parar mais uma vez para colocar outros pneus intermediários.

No giro 40, os dez primeiros eram: Leclerc, Bottas, Verstappen, Hamilton, Gasly, Pérez, Stroll, Norris, Ocon e Sainz. Gasly fez a sua parada, cumprindo a punição recebida depois do incidente com Fernando Alonso. Stroll também partiu para fazer a sua troca de pneus.

Leclerc queria permanecer na pista com os pneus que ele estava desde o início da corrida. A mesma decisão era tomada por Hamilton em seu carro, portanto a Mercedes abortava a sua parada na volta 42, mas ainda tentava negociar com o inglês.

Portanto na volta 43, Leclerc ainda liderava a prova, com mais de 3 segundos de vantagem para Bottas, mas a distância entre eles estava despencando. Enquanto isso Hamilton informava que a pista estava ficando cada vez mais seca e favorável para a instalação de pneus slick até o final da corrida.

Na volta 46, com alguns erros de Leclerc, além da diferença dos pneus utilizados, a distância para Leclerc e Bottas caiu para 0s400. Sainz assumiu a oitava posição. Com a conclusão da volta, Leclerc foi ultrapassado por Bottas, o finlandês escolheu o lado molhado da pista, colocou de lado e realizou a ultrapassagem se aproveitando do lado da primeira curva, desta forma o monegasco caiu para o segundo lugar.

Leclerc teve que realizar a sua parada pois restavam dez voltas para o final. O monegasco retornou na quarta volta durante o 48º giro. Enquanto Hamilton permanecia na pista e assumindo a terceira posição.

Na volta 50 os dez primeiros eram: Bottas, Verstappen, Hamilton, Leclerc, Pérez, Gasly, Norris, Sainz, Ocon e Stroll. Hamilton teve que fazer a sua parada na volta 51, retornando na quinta posição, usando pneus intermediários, tudo pensando para ele não perder a posição para Gasly. Na parada foi possível ver que o pneu intermediário de Hamilton tinha perdido toda a banda de rodagem para pista molhada.

E na volta 52 Leclerc foi ultrapassado por Pérez, com o mexicano chegando ao pódio. E na volta seguinte Hamilton tinha se aproximado do monegasco, brigando pelo quarto lugar.

E duas voltas depois era possível ver que Hamilton tinha perdido desempenho, os pneus estavam ficando mais prejudicados, ainda que fossem mais novos do que os usados por outros pilotos do grid. Gasly se aproximou do inglês tentando obter a 5ª posição.

Bottas venceu a corrida de forma consistente, trabalhando muito bem com a administração da liderança da corrida. A dupla da Red Bull que não tinha um carro favorável para o circuito, completou o pódio. Do décimo ao vigésimo colocado, todos tinham tomado ao menos uma volta do líder. 

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados